sexta-feira, 19 de junho de 2015

PROGRAMA BRIGADA PAIAGUÁS.
MAIS RESILIÊNCIA PARA OS SERVIDORES PÚBLICOS DE MATO GROSSO.

O ano de 2015 representa o início de uma nova fase da Superintendência de Proteção e Defesa Civil de Mato Grosso, cuja missão foi redefinida para o esforço de aumentar a capacidade de resiliência da sociedade mato-grossense diante de incidentes ou desastres. E uma das primeiras iniciativas dentro desse novo foco foi a criação do Programa Brigada Paiaguás. 

Por meio da capacitação de servidores públicos, o Programa visa aumentar a capacidade de resiliência dos órgãos da administração direta e indireta integrantes do Centro Político e Administrativo em Cuiabá, região em que se concentra a maioria das Secretarias de Estado de Mato Grosso, incluindo o Palácio Paiaguás, local de trabalho do Governador.

A formulação do Programa Brigada Paiaguás parte do princípio de que é preciso construir um movimento integrado junto à comunidade para que seus próprios membros a tornem mais segura e sejam capazes de resistir, absorver e se recuperar de forma eficiente dos efeitos de um desastre ou incidente, ou seja, aumentar a sua capacidade de resiliência. A ideia de oferecer o curso aos servidores públicos se fundamenta na necessidade de trazer a reflexão e o conhecimento sobre a gestão de riscos e desastres ao cenário de trabalho dos órgãos da administração estadual.  

Já na apresentação na Secretaria de Estado das Cidades (SECID), a qual a Defesa Civil é vinculada em Mato Grosso, o plano de trabalho teve completa aprovação do Secretário Eduardo Cairo Chiletto, que prontamente se disponibilizou a ser o primeiro a aderir ao Programa para capacitação dos servidores da SECID. 

Eduardo Chiletto, Secretário de Estado das Cidades


No dia 09 de junho de 2015 tiveram início as atividades do projeto-piloto com um evento de lançamento e abertura do Programa, contando com a participação do Secretário de Estado das Cidades, Eduardo Chiletto, do Superintende de Proteção e Defesa Civil, Tenente Coronel Abadio José da Cunha Junior e do Superintendente da Escola de Governo, Joelson Matoso. Na mesma ocasião, os servidores da SECID também puderam iniciar o Módulo 1 do curso: Defesa Civil e Gerenciamento de Riscos e de Desastres. 





Com carga horária de 20 horas, o curso do Programa Brigada Paiaguás oferece quatro módulos de quatro horas cada um, com os temas gestão de riscos e desastres, primeiros socorros, combate a princípios de incêndio, controle de pânico e plano de abandono de área. O último módulo é o desenvolvimento de uma simulação de evacuação de área, integrando todos os módulos estudados. 


Para o Superintendente da Governo, Joelson Matoso, o Programa Brigada Paiaguás contribui bastante com a política de formação continuada, pois busca qualificar os servidores públicos em temas pertinentes tanto ao ambiente profissional quanto pessoal desses servidores.


Joelson Matoso, da Escola de Governo, em fala durante lançamento do curso

Ao todo foram capacitados 60% dos servidores da Secretaria de Estado das Cidades foi capacitada pelo Programa, divididos em quatro turmas nas semanas  de 09 de junho a 09 de julho.








“Ei, sou um socorrista e estou aqui pra te ajudar.”  Já no segundo Módulo do curso, nas aulas de Primeiros Socorros, as turmas descobriram que podem ajudar a salvar vidas. Quem ministrou a aula foi  o 3º Sargento Bombeiro Militar Marcos Arruda de Alencar, que é socorrista e instrutor de Atendimento Pré-Hospitalar pelo Corpo de Bombeiros de Mato Grosso. Todos os participantes saíram agradecidos ao Sargento  Alencar pelas orientações e à Defesa Civil por proporcionar um momento tão enriquecedor em suas vidas. A servidora Flávia Almeida de Souza, por exemplo, disse que não vai esquecer o que aprendeu no curso se presenciar uma situação de risco com alguém próximo. “Só de saber controlar o pânico e acalmar a vítima já é um grande aprendizado”, finalizou Flávia.



No Módulo 3, de Prevenção e Combate a Incêndio, o curso Brigada Paiaguás pegou fogo. Sorte dos servidores públicos que se capacitaram para enfrentar com resiliência qualquer tipo de incidente. O instrutor foi o 3º Sargento Bombeiro Militar e Agente de Defesa Civil, Wagner Rosa Soares. Nesse módulo, os participantes tiraram várias dúvidas sobre situações que ocorrem em casa, em automóveis ou no trabalho, e ainda vivenciaram de pertinho como seria se estivessem numa situação de incêndio. Para alguns, o mais difícil foi lembrar qual era o extintor adequado. Para outros, controlar o pânico. Teve ainda alguns participantes que sentiram dificuldade em quebrar o lacre do extintor ou até apagar as chamas de um botijão de gás (e olha que dá pra apagar até com o dedo). No final, todos aprenderam na prática o que havia sido orientado na aula teórica.  Segundo a servidora Emanuelle Campos Curvo, o curso já está sendo muito útil porque na hora do desespero as pessoas não sabem o que fazer e com as aulas foi possível ter noção de muitos procedimentos de combate a princípio de incêndio que poderão ajudar muito.






O Módulo 4, de Abandono de Área, foi ministrado pelo Tenente Coronel  Bombeiro Militar Márcio Paulo da Silva, coordenador de Resposta e Reconstrução da Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado de Mato Grosso. Um módulo que, além de orientar sobre o plano de abandono de área e sobre Brigada Incêndio, também lembrou aos participantes como é difícil, mas necessário, evitar o pânico numa emergência. “Por isso é tão importante estar preparado. Quando temos conhecimento, a possibilidade de manter a calma aumenta”, orientou o Tenente Coronel Paulo. O pessoal aprendeu a fazer planta emergência, conheceu os elementos da mangueira de incêndio, simulou uma saída emergencial com venda nos olhos e até entrou num ambiente com muita fumaça. Com certeza, as orientações farão a diferença para a vida dos participantes e das pessoas que convivem próximas a eles.  “Passamos a nos preocupar com as instalações de nossa casa e de nosso trabalho”, disse o servidor Hugo Lima dos Santos, resumindo a consequência do curso sentida e comentada por vários participantes.






É claro que nenhum deles vai querer viver isso fora da simulação.  Mas se precisar, o Programa deixou todos preparados.



Para ver mais fotos do Programa, acesse: https://www.flickr.com/photos/defesacivil-mt/


Texto: Cida Rodrigues Cireia