sexta-feira, 21 de agosto de 2015

ATUAÇÃO DEFESA CIVIL 
EM ACIDENTE COM CARGA PERIGOSA

Cida Rodrigues
Publicidade/Supdec-MT

Por causa do acidente com carga perigosa que ocorreu em Alto Araguaia na tarde de terça-feira, dia 18 de agosto, uma equipe da Defesa Civil Estadual foi deslocada ao local para fazer a avaliação da área e dos danos ambientais causados, acompanhar o transbordo do combustível e realizar as ações para minimizar e proteger o meio ambiente e a população.




Dois caminhões de combustível pegaram na MT-100, no município de Alto Araguaia, próximo ao Parque de Exposições da região. 

Um dos caminhões, o que transportava 58.000 (cinquenta e oito mil litros) de óleo diesel, apresentou vazamento no reboque e o outro veículo foi chamado para realização do transbordo do combustível. Ao iniciar o procedimento de transbordo, o veículo que receberia a carga pegou fogo, causando ferimentos por queimaduras de 1º, 2º e 3º grau ao motorista.






Já os danos ambientais provocados pelo acidente causaram a contaminação de solo e de um reservatório de água nas proximidades. 

A equipe da Defesa Civil Estadual realizou a investigação de áreas contaminadas, acompanhou a coleta de água para análise e orientou sobre a proibição do uso e consumo do manancial contaminado até a emissão de laudo de análise laboratorial. O gerente de Operações e Assistência, Clydermam Silvério, e o assessor técnico, Marcelo Fontes,  também deram orientações sobre a remoção dos resíduos do acidente e ainda notificaram a transportadora responsável para que tomasse as providências de minimização dos danos. 




A empresa notificada terá que remover os resíduos do acidente, monitorar os recursos hídricos atingidos, oferecer todo o suporte necessário para garantir a subsistência das espécies ameaçadas pela interdição temporária do manancial, além de apresentar uma relação de documentos solicitada pela Superintendência de Proteção e Defesa Civil.




Não foi possível determinar as causas do incêndio, já que o local do acidente foi descaracterizado antes da chegada da equipe da Defesa Civil e também não foi feita a requisição da Perícia Oficial por parte da autoridade policial competente.

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

TRÊS DIAS DE CURSO. 
APRENDIZADO PARA A VIDA INTEIRA.

Cida Rodrigues
Publicidade/Supdec-MT

A capacitação em Defesa Civil “Mato Grosso Mais Resiliente” foi um sucesso. O curso direcionado aos municípios mato-grossenses foi realizado pela Superintendência de Proteção e Defesa Civil nos dias 03, 04 e 05 de agosto. A intenção foi ajudar a melhorar os processos de decretação, captação de recursos e prestação de contas em Defesa Civil. 



Já na solenidade de abertura, que ocorreu na manhã do dia 03 de agosto no Palácio Paiaguás, a iniciativa foi prestigiada pela presença do secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Adriano Pereira Junior, do governador de Mato Grosso, Pedro Taques, do secretário de Estado das Cidades, Eduardo Chiletto e de prefeitos de vários municípios do Estado. Na ocasião, o Governador Pedro Taques vestiu literalmente a camisa da Defesa Civil ao ganhar um colete da entidade. Taques ainda destacou que a profissionalização da Defesa Civil é necessária não apenas nos momentos de desastres.





General Adriano Pereira, Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil



Governador Pedro Taques vestindo o colete da Defesa Civil

Para o superintendente de Proteção e Defesa Civil, tenente coronel Abadio José da Cunha Junior, a solenidade vai marcar a história da Defesa Civil de Mato Grosso. “Em 43 anos de existência no Estado, essa é a primeira vez que a Defesa Civil enxerga que alcançou o prestígio merecido ao contar com a presença em seu evento do Governador e do Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil”, comentou Cunha em sua fala de abertura.
A partir da tarde de segunda-feira, a capacitação passou a ser realizada no auditório da Arena Pantanal com aulas direcionadas aos  representantes de Defesa Civil nos municípios.  




Perguntas não faltaram já no módulo CENAD e Plano de Trabalho. Os participantes tiveram acesso a muitas informações sobre o assunto. A palestrante foi a engenheira de Recursos Hídricos no Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CENAD), em Brasília, Andressa Della Justina de Castro. Ela atua na gestão de desastres e na análise das ações de respostas financiadas pelo Governo Federal.


Plano de resposta engloba as ações emergenciais destinadas ao socorro e assistência às pessoas afetadas pelo desastre, bem como medidas necessárias ao restabelecimento de serviços essenciais cuja funcionalidade tenha sido prejudicada pelo desastre.


A manhã do dia 04 de agosto foi reservada para a capacitação sobre sobre o documento que precisa ser elaborado para reconstrução de obras atingidas por desastre: o Plano de Trabalho. Quem passou o conhecimento aos participantes foi um dos responsáveis pela análise de planos de trabalho dos convênios e transferências obrigatórias firmados com o Governo Federal, o analista de Infraestrutura do Departamento de Reabilitação e Reconstrução da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, Ronny Peixoto. 




A gente tem que copiar o que é bom. Essa máxima foi o que motivou a Defesa Civil Estadual a trazer o representante da Defesa Civil do Paraná para o módulo que ocorreu na tarde quarta-feira, dia 04. O Capitão Bombeiro Militar Dorico Gabriel Borba, chefe da Seção de Planejamento da Defesa Civil do Paraná, fez questão de contar tudo o que é feito de melhor  por lá e que pode ser aplicado em Mato Grosso. 




Na manhã de quinta-feira, dia 05, foi a vez da Defesa Civil do Espírito Santo mostrar as melhores práticas de seu Estado. O chefe do Departamento Administrativo da Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil do Espírito Santo, José Almeida, deu uma aula de bons exemplos que podem ser usados aqui, pelo Estado e pelos municípios mato-grossenses.




O representante da Superintendência Estadual, Benedito Gomes de Araújo, finalizou a capacitação com o curso sobre o Sistema Integrado de Informações sobre desastres (S2ID), na tarde do dia 05.




O encerramento do curso contou ainda com a entrega dos certificados aos participantes que fizeram a inscrição pela internet antecipadamente. A capacitação de 24 horas foi certificada pela Escola de Governo do Estado de Mato Grosso que, além de providenciar o diploma, ainda ofereceu o apoio pedagógico na elaboração do curso.



Joelson Mattoso, Superintendente da Escola de Governo, entregando o certificado à Coordenadora Municipal de Defesa Civil de Tangará da Serra, Ádila Matana






A capacitação acabou, mas as boas lembranças e o aprendizado ficarão para sempre. Depois de três dias de curso, o Sistema Estadual de Proteção e Defesa Civil saiu fortalecido. Muito conhecimento, troca de experiências, aproximação, e acima de tudo, a certeza de que unidos, a Defesa Civil é mais forte.




Fotos: Lisânia Ghisi, Vani Cunha e Cida Rodrigues

terça-feira, 4 de agosto de 2015

ABERTURA DA CAPACITAÇÃO EM DEFESA CIVIL 

Lisânia Ghisi
Assessoria/Secid-MT

Começou nesta segunda-feira (03.08), o curso de capacitação para prefeitos e coordenadores municipais de Proteção e Defesa Civil. O evento, que contou com a presença do governador Pedro Taques e do secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Adriano Pereira Junior, segue até o dia 05 de agosto. 



Também estiveram presentes, na cerimônia de abertura, o secretário de Estado das Cidades, Eduardo Chiletto, e o superintendente de Proteção e Defesa Civil de Mato Grosso, tenente coronel Abadio José da Cunha Junior. O curso tem o objetivo de auxiliar os municípios na captação de recursos junto ao governo federal. 

Para o coordenador da Defesa Civil de Peixoto de Azevedo, Vanderlei Ferrari, as atividades capacitação são sempre importantes para os municípios. Segundo ele, na região as principais ocorrências de desastres estão relacionadas às chuvas e as queimadas urbanas. “Temos desenvolvido trabalho de conscientização juto a comunidade, porém é preciso sempre estar atualizado. Eventos como este, nos auxiliam a melhorar o atendimento à população local”. 

O terceiro maior município de Mato Grosso, Rondonópolis, conta com estrutura mínima na área de Defesa Civil. De acordo com o coordenador local, Francisco Erimar Bezerra, as invasões em regiões de risco figuram como principal problema. 

“A capacitação reflete diretamente em melhorias a serem aplicadas para a população. Hoje, a Defesa Civil de Rondonópolis conta com dois profissionais, porém trabalhamos em parceria com os demais órgãos locais. Queremos aqui ampliar o conhecimento e levar para os gestores municipais a necessidade de se investir na Defesa Civil”, destacou Bezerra. 

Para o prefeito de Carlinda, Geraldo Ribeiro, as orientações recebidas durante o processo de capacitação irão auxiliar os profissionais da Defesa Civil local no momento do registro do desastre. “É importante saber o que temos que fazer nestes momentos, pois muitas vezes os recursos são perdidos devido à ausência de orientação adequada”. 

Para o superintendente da Defesa Civil de Mato Grosso, o curso de capacitação, além de auxiliar os municípios na captação de recursos, também auxiliará no apoio às comunidades impactadas com os desastres. Atualmente 46 cidades contam com representantes da Defesa Civil, porém apenas 10 municípios contam com estrutura realmente ativa. 

“Queremos potencializar as ações nos municípios, não apenas em situações de desastres, mas também na área preventiva. Uma comunidade capacitada consegue desenvolver as atividades necessárias e atender adequadamente a população afetada”, destacou o tenente coronel Cunha. 

Segundo o secretário Eduardo Chiletto, a atuação na área preventiva faz com que as ocorrências sejam minimizadas em momentos de desastres. “Além do conhecimento, é preciso equipar estas localidades. Devido a essa necessidade, estamos estudando a instalação de um centro de monitoramento estadual. Dessa forma, as cidades terão um suporte adequado para desenvolver as ações preventivas”. 

Ainda durante a cerimônia de abertura, o secretário nacional da Defesa Civil destacou a importância de Mato Grosso estar alinhado aos novos conceitos do órgão. “Queremos uma sistema de Defesa Civil que funcione. Atendemos pessoas e nos momentos em que estas estão mais fragilizadas. Para isso, precisamos pensar e atuar de forma digna. Ver Mato Grosso caminhando neste sentido, é importante para todo o sistema nacional”, reforçou Adriano Pereira. 

De acordo com o governador Pedro Taques, a profissionalização da Defesa Civil é necessária não apenas para os momentos de desastres. “A Defesa Civil funciona por meio de um sistema e para que este tenha êxito é importante criar condições para auxiliar os cidadãos. Isso só é possível por meio de profissionalização e é desta forma que vamos continuar trabalhando”.