quinta-feira, 29 de outubro de 2015

AVISO METEOROLÓGICO - ESTADO DE ATENÇÃO
Chuva forte em parte do Brasil, incluindo Mato Grosso.

Nesta quinta-feira (29/10), haverá chuva forte, acompanhada de raios e rajadas de vento forte.

Fonte: 
CPTEC (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos) 
INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais)

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

VISITAS TÉCNICAS AO VALE DO JAURU

Para disciplinar as atividades de resposta a desastres, uma equipe Coordenadoria de Resposta e Reconstrução da Defesa Civil Estadual realizou visitas técnicas aos municípios da região do Vale do Jauru na semana de 19 a 23 de outubro.

Gerente de Articulação da Defesa Civil, Ten. Cel. Martini, representantes do município de Figueirópolis do Oeste e Coordenador Municipal de Proteção e Defesa Civil de Porto Espiridião, José Galvão

Porto Esperidião, Glória do Oeste, Araputanga, Indiavaí, Jauru, Mirassol do Oeste, São José dos Quatro marcos, Reserva do Cabaçal e Figueirópolis do Oeste foram os municípios visitados. 

Visita Glória do Oeste

Visita Jauru


Durante as visitas técnicas, os representantes da Defesa Civil Estadual, Ten. Cel. BM Adelir Martini Adelir Martini, gerente de Articulação e Comando Operacional, e o agente de defesa civil, João Andrade se reuniram com os Coordenadores Municipais de Proteção e Defesa Civil e com prefeitos e secretários municipais.

Visita em Araputanga


Nos municípios que possuem Coordenadorias Municipais de Proteção e Defesa Civil implantadas, como Porto Espiridião, Mirassol do Oeste e São José dos Quatro Marcos, a equipe fez orientações sobre o uso do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2ID) e sobre a elaboração dos planos de contingenciamento de desastres, de resposta a desastres e de trabalho e reconstrução.

Visita Mirassol do Oeste

Visita São José dos Quatro Marcos

Nos demais, Martini e João Andrade reforçaram junto aos prefeitos a  importância da estruturação do órgão municipal de proteção e de defesa civil para a coordenação das ações de prevenção, mitigação, resposta e reconstrução em âmbito local. Também aproveitaram para atualizar as informações socioeconômicas do município e avaliar alguns cenários de risco. 

Visita Indiavaí

A equipe ainda acompanhou e apoiou o coordenador de defesa civil de Porto Espiridião, José Galvão, em visitas técnicas às UHE e PCHs de Indiavaí, instaladas no Rio Jauru. O objetivo foi conhecer o sistema de operação e monitaramento das usinas de eletricidade e seus respectivos planos de segurança de barragem.  

Reunião para recebimento do plano de segurança de barragem 




sexta-feira, 23 de outubro de 2015

CAMPANHA OUTUBRO ROSA NA DEFESA CIVIL 

Em Mato Grosso, a campanha conhecida como Outubro Rosa é realizada pela Associação Mtmamma. A entidade tem como objetivo conscientizar e sensibilizar a sociedade para a importância do toque de mama como uma das formas de salvar vidas ao ajudar na identificação precoce da doença, possibilitando maiores chances de tratamento e cura.

A programação da Campanha em Cuiabá abrangeu a iluminação de rosa de vários prédios históricos, como a Igreja Nossa Senhora Auxiliadora, prédios públicos e de de destaque na vida da população, como a Arena Pantanal.

Para o maior alcance das ações, a Mtmamma pediu apoio ao Governo do Estado através do NAV – Núcleo de Ações Voluntárias, que mobilizou os demais órgãos estaduais na Campanha. 

Nesta sexta-feira, 23, todos vestiram rosa na Defesa Civil Estadual para fortalecer a conscientização sobre a importância da detecção precoce do ‪câncer de mama‬.




Importância da detecção precoce

Quando o câncer de mama é diagnosticado precocemente, as chances chances de tratamento e cura são maiores. 

Todas as mulheres, independentemente da idade, podem conhecer seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas.

Também é recomendado que mulheres de 50 a 69 anos façam uma mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) a cada dois anos. Esse exame pode ajudar a identificar o câncer antes do surgimento dos sintomas.


Câncer de mama - Fatores de proteção

Estima-se que 30% dos casos de câncer de mama possam ser evitados quando são adotadas práticas saudáveis como:
Praticar atividade física;
Alimentar-se de forma saudável;
Manter o peso corporal adequado;
Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
Amamentar


Câncer de mama - Sinais e sintomas

Os principais sinais e sintomas do câncer de mama são:
Caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor;
Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;
Alterações no bico do peito (mamilo);
Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço;
Saída espontânea de líquido dos mamilos
Ao identificarem alterações persistentes nas mamas, as mulheres devem procurar imediatamente um serviço para avaliação diagnóstica. No entanto, tais alterações podem não ser câncer de mama.

(Fonte: www.inca.gov.br)

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

DEFESA CIVIL ESTADUAL: 
PRESENÇA E APOIO AOS MUNICÍPIOS

Cida Rodrigues
Publicidade/Supdec-MT

Orientar e acompanhar os municípios na redução da vulnerabilidade e na ampliação e qualificação da capacidade de resposta a desastres resumem as competências da Defesa Civil Estadual.  Afinal, é no município que os desastres acontecem. Prestar o apoio necessário é a forma de contribuir efetivamente para o cuidado com a população que vive em cada município mato-grossense.

Além da orientação para decretações de situação de emergência, as equipes da Superintendência de Proteção e Defesa Civil de Mato Grosso têm intensificado as visitas a alguns municípios nos últimos dias buscando oferecer todo o apoio e assistência necessárias para ajudar a reduzir os riscos e os danos sofridos pela população em cada localidade.  


PONTES E LACERDA

A corrida pelo ouro na Serra do Caldeirão, em Pontes e Lacerda, pode trazer consequências delicadas para o município. É um fenômeno que movimenta não apenas a economia da região, mas principalmente a vida e a segurança da população local e dos migrantes que chegam em busca do ouro. É por isso, pelo cuidado com a proteção das pessoas, que a Defesa Civil Estadual tem mobilizado agentes próprios e profissionais de outras áreas, como geólogos e assistentes sociais, para visitas constantes ao local.

Na segunda-feira, dia 19 de outubro, data do desmoronamento de um barranco que soterrou cinco trabalhadores, uma equipe da Defesa Civil Estadual chegou ao local para analisar os riscos do garimpo. Com o apoio de um geólogo da METAMAT (Companhia Mato-grossense de Mineração), será feito o levantamento de dados desse cenário tão vulnerável a desastres. 



Na quarta-feira, 21, outra equipe chegou ao município para verificar quais ações de resposta e assistência podem ser oferecidas à população, especialmente depois que o Ministério Público Federal (MPF) determinou a retirada das pessoas que estão no garimpo ilegal. A ação de assistência envolveu agentes da Defesa Civil, psicólogo e assistente social, com o objetivo de ajudar a reduzir os impactos da desocupação e averiguar o que pode ser feito para garantir as necessidades básicas de subsistência da população afetada.



PARANATINGA
Um intenso vendaval atingiu parte do município de Paranatinga no dia 17 de outubro, provocando destruição e inúmeros prejuízos em diversos pontos da cidade.
Como Paranatinga não possui órgão municipal de Proteção e Defesa Civil estruturado, a Defesa Civil estadual orientou os representantes do município sobre a necessidade de documentar e registrar os danos e prejuízos do vendaval. 
 

BARRA DO BUGRES
O município recebeu visita técnica da Defesa Civil Estadual no início de outubro. 
A visita foi feita pelo gerente de articulação e comando operacional da Defesa Civil Estadual, Tenente Coronel Martini, com o objetivo de examinar diversos pontos de risco de desastre no município e orientar os moradores próximos sobre os riscos a que estão expostos. Martini também aproveitou para verificar a atuação da Defesa Civil Municipal.

 
JAURU
Fortes chuvas causaram muitos estragos e prejuízos em Jauru e, desde do fim de setembro, uma equipe da Defesa Civil Estadual está no município prestando todo apoio possível.




O trabalho de resposta a desastres incluiu o auxílio para decretação da situação de emergência, a doação de colchões, filtros de água, sacolões de cesta básica e cobertores. Um cuidado que as famílias afetadas pelos alagamentos e enxurradas precisam durante e após o desastre.
 
Equipe da Defesa Civil: Major BM Washington, Benedito, Silvério e Sgto. BM Bruno





CÁCERES
Desde meados de setembro, fortes ventos e tempestade causaram muitos danos a Cáceres.  A partir de então, a equipe da Defesa Civil Estadual está sempre presente no município, ajudando na coletando as informações dos danos e dos respectivos prejuízos para formalizar a decretação de situação de emergência e amparando o poder público local e a população.




sexta-feira, 16 de outubro de 2015

DEFESA CIVIL PEDE COLABORAÇÃO DA IMPRENSA PARA ORIENTAR POPULAÇÃO

LUCIANA CURY

Redação/GCom-MT

Em 2014, 46 municípios de Mato Grosso decretaram situação de emergência, em decorrência do período de chuvas. E nenhuma dessas cidades foi tema de reportagem na mídia nacional. Situação oposta ocorre atualmente no estado do Rio Grande do Sul. Devido à cheia do rio Guaíba, cinco municípios decretaram situação de emergência e por isso, diariamente, os veículos de comunicação de abrangência nacional divulgam as perdas causadas pelos alagamentos. 

Para a Superintendência de Proteção e Defesa Civil de Mato Grosso a divulgação jornalística necessita ser colocada em discussão junto à mídia estadual. O órgão, que atua em ações de prevenção, socorro, assistenciais e reconstrutivas realizou nesta manhã de quinta-feira (15.10), na sede instalada na Arena Pantanal, um encontro com os profissionais da imprensa.

Foto: Chico Valdiner - Gcom/MT

A proposta do encontro foi a de reforçar junto aos jornalistas a importância do apoio deles na divulgação de ações adotadas pelo órgão e também na orientação à população de qual atitude precisa adotar para sanar ou atenuar os danos dos desastres, sejam eles causados ou não pela natureza. “Moramos em um Estado abençoado por não termos mortes por deslizamento, como o Rio de Janeiro, ou terremotos de grandes proporções como ocorrem no Japão. Mas isso não significa que não temos desastres. Todos os anos Mato Grosso registra prejuízos e transtornos causados pelas chuvas e pelas queimadas”, comenta o bombeiro e superintendente da Defesa Civil, Abadio José da Cunha Júnior. 

Para ele, envolver toda a sociedade em torno do problema é a solução para ajudar a minimizar os danos combatidos pela Defesa Civil. “E para isso precisamos da ajuda da imprensa, que ajuda a disseminar junto os órgãos públicos a necessidade de envio emergencial de recursos e ainda reforça na sociedade a necessidade de engajamento e apoio”, acrescenta Cunha Júnior. 

Foto: Cida Rodrigues - Defesa Civil MT

Entre os prejuízos bastante comuns em Mato Grosso apontados pela Defesa Civil estão aqueles causados por ventanias, como a que ocorreu em Cáceres no final do mês passado, que destelhou casas e prédios públicos, e a forte chuva que atingiu a cidade de Jauru, na mesma época, em que 30 famílias que moravam perto de córregos ficaram desalojadas. “Cuiabá tem mais de 50 córregos que cortam o perímetro urbano e há milhares de pessoas morando perto deles. E compete a todos, poder público e sociedade, se preparar para evitar o pior”, comenta o representante da Defesa Civil. 

A forma para isso, segundo Cunha Júnior, é a sociedade adotar medidas preventivas, como cuidar do descarte do lixo e evitando colocar fogo em terrenos baldios ou em grandes áreas, como fazendas a matas. Aproveitando a presença de jornalistas, o superintendente da Defesa Civil defendeu a necessidade de cada município ter no quadro funcional integrantes da Defesa Civil. “Dos 141 municípios, 96 deles têm Defesa Civil instaladas, mas desse percentual, muitas criam o órgão por decreto e não nomeiam servidores, e quando há desastre, o estado acaba tendo de atuar porque órgão local está inoperante”. 

Segundo o superintendente, muitos prefeitos não seguem a lei federal nº 12.608, que obriga todas as prefeituras a ter implantada uma unidade de Defesa Civil. “Isso acaba atrapalhando a própria administração municipal, porque por não mapearem as áreas de risco, e assim captarem recursos para sanar o problema, elas acabam tendo de lidar com o problema após ele ter sido criado, e daí os transtornos são bem maiores”, avalia. 


PROGRAMA DE VOLUNTARIADO 

Com o propósito de envolver a sociedade nos assuntos da Defesa Civil, o órgão tem realizado cursos de voluntariado. 

Em Cuiabá e Várzea Grande 204 pessoas passaram por treinamentos, e mais 80 em Tangará da Serra e Rondonópolis. A capacitação envolve diversos temas como: noções de combate a incêndio, primeiros socorros, identificação de produto perigoso, montagem de barracas, etc. 

Os interessados podem fazer a inscrição pela internet, na página www.cidades.mt.gov.br  , no link Defesa Civil. 


DEFESA CIVIL NAS ESCOLAS

O órgão começou a implantar hoje o projeto ‘Defesa Civil nas Escolas”. A ação inédita será realizadas nas escolas públicas e privadas, em que agentes da Defesa Civil irão dar dicas de segurança voltado ao público infantil. As escolas interessadas em receber o projeto precisam enviar um e-mail informando o interesse no endereço sudec@defesacivil.mt.gov.br  

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

VISITA TÉCNICA EM BARRA DO BUGRES

Texto: Nilson Guedes / Assecom Barra do Bugres
Foto: Nilson Guedes


O prefeito de Barra do Bugres, Júlio César Florindo e o vice prefeito João Alves dos Santos, receberam na manhã de terça-feira (6), o gerente de articulação e comando operacional da Defesa Civil Estadual, Tenente Coronel Martini.




Martini e sua equipe vieram à Barra do Bugres realizar a visita técnica e operacional do sistema integrado de gestão de desastre, serviço esses considerado como de rotina pela Corporação “Estivemos averiguando diversos pontos de risco de desastre no município entre eles o Lago Azul aonde constatamos que estão sendo construídos alguns estabelecimentos comerciais, conversamos com os proprietários e orientamo-los sobre os risco que ocorre naquele local, bem como  um canal da Diacui onde passa um grande volume de águas em direção aos rios Paraguai.” Disse Martini, destacando que também esteve verificando a ponte do Jauquara que está em risco de desabamento e que vai ajudar o município para possível locação de recursos para construção de uma nova ponte.

Martini destacou que a visita teve como objetivo também de verificar a atuação da Defesa Civil Municipal que são formados por voluntários da comunidade; inserida no Conselho Municipal de Defesa Civil, o qual são conhecedores das responsabilidades estabelecidas em uma organização, para atender a uma emergência e também contêm informações detalhadas sobre as características da área ou sistemas envolvidos. “Aqui em Barra do Bugres existe esse conselho e praticamente conhece a fundo os problemas e os pontos de área de risco que todos os anos são detectados no período das chuvas”, Disse Martini, destacando que no município de Barra do Bugres, a Coordenação da Defesa Civil está a cargo da servidora, Lucineia Ferreira da Silva.

O prefeito de Barra do Bugres, Júlio Florindo destacou como sendo de grande importância à visita da equipe da Defesa Civil do Estado e se colocou a disposição da corporação. “Creio que esse trabalho de conhecer de perto os possíveis pontos de risco nos municípios é muito importante e aqui em Barra do Bugres a equipe da defesa civil do estado desta vez está verificando os possíveis locais que em época de chuva ficam isolados”, Disse Florindo, enaltecendo o trabalho da corporação que não tem medido esforços para ajudar o município em época de enchentes, citando inclusive as ultimas chuvas do inicio do ano que deixou o município de Barra do Bugres totalmente isolado pelo rompimento da Rodovia MT 246.

quarta-feira, 7 de outubro de 2015



CAPACITAÇÃO DE VOLUNTÁRIOS 
EM TANGARÁ DA SERRA 

Realizada no auditório da IFMT, nos dias 03 e 04 de outubro, em Tangará da Serra, a programação da capacitação abordou conceitos básicos de Atendimento Pré-Hospitalar (APH), radioamadorismo, combate a incêndio, produtos perigosos, abrigos temporários, Defesa Civil e voluntariado.

Contando com mais de 30 participantes, a formação da rede de voluntários em Tangará está sendo bastante comemorada. Para Ádila Matana, Coordenadora Municipal de Proteção e Defesa Civil, a capacitação levada pela Defesa Civil Estadual ajudou a preparar pessoas cheias de vontade para dar apoio às suas atividades. "Com isso quem ganha é a população", concluiu Ádila.

Para demonstrar a importância dos voluntários em Defesa Civil para o município, o prefeito do Fábio Martins Junqueira prestigiou a abertura e deu as boas-vindas aos participantes.




Confira mais algumas fotos dos dois dias de curso.


















CAPACITAÇÃO DE VOLUNTÁRIOS EM RONDONÓPOLIS 

O interior do Estado já começou a fazer parte da Rede de Voluntários de Defesa Civil. Com a realização do curso de capacitação nos dias 22 e 23 de setembro, Rondonópolis foi o primeiro município a formar turma de voluntários para apoiar as atividades atuar antes, durante e depois de desastres ou incidentes.

Em dois dias, os participantes tiveram a oportunidade de adquirir conhecimentos que os ajudarão a exercer o seu desejo de ajudar o próximo.

A abertura feita pelo Superintendente Estadual, Tenente Coronel Abadio José da Cunha Júnior e pelo Coordenador Municipal de Proteção e Defesa Civil, Erimar Bezerra.






Momento de apresentação dos participantes do curso com dinâmicas proporcionaram, desde o início, a integração da turma.



A Maria Miqueline, de colete na foto abaixo, é a gerente de capacitação da Defesa Civil Estadual. Além de ter sido a responsável por ministrar o curso de Abrigo Provisório, é ela também que sempre leva as dinâmicas de grupo.



O profissional de radioamador e representante da LABRE (Liga de Amadores Brasileiros de Rádio Emissão), José Gonçalves de Sena, falou da importância do instrumento de comunicação para as ações de Defesa Civil.

Quem falou sobre prevenção e combate a princípios de incêndio durante a capacitação foi o Major Carlos, da equipe da Defesa Civil Estadual. 



Na aula prática de combate ao fogo, muita gente perdeu até o medo de botijão de gás. É que os conceitos aprendidos na aula teórica deram o entendimento necessário para o que fazer no caso de um botijão pegar fogo. 







A aula de Primeiros Socorros foi ministrada pelo Sargento BM Bruno, que também faz parte da equipe da Superintendência de Proteção e Defesa Civil.




A capacitação também contou com aulas de Produtos Perigosos, ministrada pelo Sargento Wagner Soares, e ainda, Conceitos de Defesa Civil e Voluntariado.