terça-feira, 15 de dezembro de 2015

MOBILIZAÇÃO E COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI

Após o Ministério da Saúde confirmar a relação entre o vírus Zika e a ocorrência de microcefalia, uma mobilização nacional foi chamada para conter o mosquito transmissor, o Aedes aegypti, responsável pela disseminação das doenças dengue, chikungunya e zika.

Para atingir esse objetivo o Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (SINPDEC)   atuará  em conjunto  com  Sistema  Nacional  de  Saúde  (SUS)  na Mobilização  e Combate  ao  Mosquito,  sendo  fundamental  a  participação  dos  órgãos estaduais e municipais de proteção e defesa civil.


Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil com representantes estaduais em reunião sobre o Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia

A Sala Nacional de Coordenação e Controle do Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia, localizada no Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), órgão da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil,  atua no gerenciamento e monitoramento das ações de mobilização e controle do mosquito Aedes aegypti em todo o país.

Em Mato Grosso, o Superintendente de Proteção e Defesa Civil, tenente-coronel BM Cunha Jr.,  iniciou as tratativas para organizar a Sala de Coordenação e Controle na esfera estadual, incluindo reunião com sua equipe e o agendamento de encontros com gestores dos municípios mato-grossenses para debater as estratégias de atuação integrada e de apoio às ações.




Além de definir  diretrizes  para  execução  coordenada  e  controlada  das  ações  de mobilização e combate ao mosquito em Mato Grosso, a Sala de Coordenação e Controle Estadual deverá dar suporte a municípios com pessoal, insumos, equipamentos e logística; Informar à Sala Nacional de Coordenação e Controle as necessidades logísticas para o pronto cumprimento da mobilização e combate ao mosquito; Elaborar Plano de Ação para o combate ao vetor em seu território; dentre outras atribuições.

Para o superintendente de Proteção e Defesa Civil, tenente-coronel BM Cunha Jr, somente uma grande ação unificada entre municípios, Estados e a União será capaz de derrotar esse mosquito que causa tão graves epidemias no país. “É uma situação que pode ser considerada desastre biológico, por isso os órgãos de Proteção e Defesa Civil vão caminhar juntos com representantes do Ministério da Saúde, secretarias de Saúde, Educação, Segurança Pública e Assistência Social, para conter novos casos de microcefalia relacionados ao vírus Zika”, concluiu o superintendente.  


Dados da microcefalia no país:

Com o crescente número de casos de microcefalia no país, o Ministério da Saúde declarou, no mês passado, Situação de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional no país. 

As investigações sobre o tema devem continuar para esclarecer questões como a transmissão desse agente, a sua atuação no organismo humano, a infecção do feto e período de maior vulnerabilidade para a gestante. 

Até 5 de dezembro de 2015, foram registrados 1.761 casos suspeitos de microcefalia, em 422 municípios de 14 unidades da federação. As informações são do Informe Epidemiológico sobre Microcefalia, divulgado pelo Ministério da Saúde.


Fonte: Cida Rodrigues - Assessoria / Defesa Civil Estadual

Nenhum comentário:

Postar um comentário