terça-feira, 19 de janeiro de 2016

DEFESA CIVIL ANALISA SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA NA AGRICULTURA EM MATO GROSSO

A falta de chuva que causou uma série de prejuízos aos produtores rurais de Mato Grosso também é pauta da Defesa Civil Estadual. Os coordenadores major BM Washington Duarte e Benedito Araujo estão percorrendo vários municípios, analisando e coletando dados para o o processo de decretação de situação de emergência por crise econômica. 




Uma boa parte das lavouras de soja no Estado está sendo perdida por causa da estiagem que se estendeu além do previsto em 2015. O retorno das chuvas nos últimos dias alivia apenas a situação das plantações cultivadas mais tarde. Já para as áreas semeadas mais cedo, em setembro e outubro, as lavouras foram comprometidas. Além do rendimento ruim nas sacas colhidas, a má qualidade dos grãos também preocupa os produtores.


Segundo o prefeito de Ipiranga do Norte, Pedro Ferronato, esse é o primeiro registro de perda de lavoura por seca e estiagem nos últimos 30 anos. “Geralmente perdíamos produtividade por excesso de águas e vamos ter que rever todo este processo, até mesmo os prazos limites para a formação das lavouras de soja, o que influencia lá na frente a segunda safra”, revelou o prefeito.



Reunião em Ipiranga do Norte, dia 18/01/2016
Para o coordenador da Defesa Civil Estadual, major BM Washington Duarte,  a decretação de situação de emergência pode garantir reparações legais aos produtores rurais no cumprimento de seus compromissos com compradores e bancos financiadores. “Como a agricultura é a base de muitos municípios, toda a sociedade acaba sentindo as consequências  dos danos nas lavouras. Por isso, nós, da Defesa Civil, continuaremos fazendo as visitas às lavouras e o levantamento da documentação que possa comprovar os prejuízos  para o processo de pedido de decretação de situação de emergência”.


Desde o dia 12 de janeiro, a equipe da Defesa Civil Civil Estadual já visitou lavouras e realizou reuniões com prefeitos, sindicato rurais e agricultores nos municípios de Sorriso, Nova Ubiratã, Gaúcha do Norte, Ipiranga do Norte e Feliz Natal.



Reunião em Gaúcha do Norte, dia 14/01/2016


Reunião em Nova Ubiratã, dia 13/01/2016

Reunião em Feliz Natal, dia 19/01/2016

Em Sorriso, os agricultores contabilizam um prejuízo mínimo de 25% na produção da soja em função da severa estiagem. A estimativa foi informada pelo secretário da Agricultura de Sorriso, Afrânio Migliari. De acordo com Afrânio, a seca impactou diretamente em pelo menos 150 mil hectares de soja no município. 



O município de Nova Ubiratã aparece na sétima colocação no ranking nacional dos 20 maiores municípios produtores de soja, no entanto também deve contabilizar um prejuízo mínimo de 25% na produção da oleaginosa, situação que abrange também os pequenos produtores de assentamentos.



Em Gaúcha do Norte, a expectativa dos produtores é que em alguns casos a perda poderá chegar a 80%.






Fonte: Cida Rodrigues - Assessoria / Defesa Civil Estadual
Fotos: Defesa Civil

Nenhum comentário:

Postar um comentário