sexta-feira, 29 de abril de 2016


SEMANA DE CAPACITAÇÕES EM DEFESA CIVIL

A capacitação esteve em alta nessa semana na Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado de Mato Grosso. De cursos internos para qualificação da própria equipe a cursos para comunidades externas, o órgão intensifica cada vez mais a preparação como forma de prevenir e/ou dar respostas a desastres.

Confira as atividades de capacitação na semana:  


Curso de noções básicas para ações de prevenção e controle do mosquito Aedes Aegypti
Promovido pela Defesa Civil, o curso foi ministrado pelo técnico da Secretaria de Estado de Saúde, Luiz Eduardo Saragiotto Silva, no auditório da Arena Pantanal, na tarde do dia 29 de abril.
A capacitação ofereceu informações sobre a abordagem durante a visita domiciliar ou comercial, sobre o ciclo de vida do mosquito e os criadouros preferenciais à nova turma do curso de formação do Corpo de Bombeiros Militar.
Curso de noções básicas para ações de prevenção e controle do Aedes Aegypti para alunos da ACADEPOL - Academia de Polícia Civil. Dividida em turmas de 150 alunos por dia, a capacitação aconteceu de 25 a 29 de abril e foi ministrada pelo técnico da Secretaria de Estado da Saúde, Oscar Luiz da Silva Neto. Após a capacitação, os novos investigadores da polícia civil se juntarão às demais instituições públicas estaduais na próxima ação integrada contra o mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.


Treinamento interno sobre o uso do Global Positioning System (GPS), orientado  por Adriana Sacramento, geógrafa da SEMA, mestre em geotecnologias e especialista em planejamanto cartográfico e em georreferenciamento de imóveis rurais.
Data: 29 de abril
Treinamento interno sobre o uso do Global Positioning System (GPS). A capacitação teve como objetivo exercitar o uso do equipamento de localização para facilitar e melhorar as atividades de mapeamento de áreas de risco e de registro de desastres.

O gerente de Operações e Assistência, Clyderman Slivério, e o engenheiro civil César Augusto Barreto  participaram do Curso de Percepção de Riscos em Estruturas Edificadas. O curso foi oferecido pela Escola de Defesa Civil do Rio de Janeiro, de 25 a 29 de abril.


Fonte: Cida Rodrigues | Publicidade Defesa Civil Estadual


terça-feira, 26 de abril de 2016

POLÍCIA CIVIL SE JUNTARÁ  À AÇÃO INTEGRADA CONTRA O AEDES AEGYPTI

Nessa segunda-feira, 25, teve início a capacitação dos alunos do Curso de Formação de Investigador da Polícia Civil sobre Noções Básicas para Ações de Prevenção e Controle do mosquito Aedes aegypti. Dividida em turmas de 150 alunos por dia, a capacitação seguirá até o dia 29, sexta-feira, na Academia da Polícia Judiciária Civil (Acadepol), das 18h às 21h. Após a capacitação, os novos investigadores da polícia civil se juntarão às demais instituições públicas estaduais na próxima ação integrada contra o mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, que acontecerá dia 30, sábado. 
A capacitação foi promovida pela Defesa Civil Estadual e ministrada pelo técnico da Secretaria de Estado de Saúde, Oscar Luiz da Silva Neto


A ação integrada reúne esforços da Secretaria de Segurança Pública, por meio da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros Militar e agora também da Polícia Civil, da Secretaria Estadual de Saúde e da Defesa Civil Estadual. Pela terceira vez neste ano, essas instituições estaduais irão percorrer ruas e casas da Grande Cuiabá para levar orientações sobre os criadouros preferenciais e as formas de combater o mosquito. Dessa vez, a ação acontecerá na região do Coophema, em Cuiabá, e  percorrerá os bairros Coophema, Jardim Gramado, Jardim Aquarius, São Gonçalo Beira Rio, Parque Geórgia, Vista Alegre e Nossa Senhora Aparecida.

A primeira ação integrada contra o mosquito Aedes aegypti foi realizada no dia 19 de fevereiro, nos bairro CPA I e CPA II, em Cuiabá, e teve 2.859 casas visitadas. Na segunda ação integrada, que aconteceu no dia 03 de abril, as instituições estaduais visitaram 3.213 residências em bairros da região do Grande Cristo Rei, em Várzea Grande.

Cerca de 450 pessoas, dentre alunos dos cursos de formação da PM, dos Bombeiros, e da Polícia Civil, agentes e voluntários da Defesa Civil e técnicos da Secretaria de Estado da Saúde, participarão da ação integrada do próximo sábado. O ponto de encontro será às 7h, na praça do Parque Estadual Zé Bolo Flô, ao lado da Escola de Saúde Pública, no bairro Coophema. A partir das 8h, os integrantes serão divididos em equipes e começarão a visitar casa por casa  para identificar focos de risco e conscientizar sobre a importância do combate contínuo aos criadouros. 


Fonte: Cida Rodrigues | Publicidade Defesa Civil Estadual

quarta-feira, 20 de abril de 2016

MIRASSOL RECEBE KITS PARA VÍTIMAS DAS CHUVAS ENVIADOS PELA DEFESA CIVIL


O Governo do Estado de Mato Grosso, através da Defesa Civil Estadual, enviou na sexta-feira, 15, 70  cestas básicas, 50 Colchões, 65 Filtros de Água  e 50 Cobertores aos moradores de Mirassol D´Oeste que sofreram em decorrência das últimas chuvas que atingiram o municipio no último dia 24 de março.

Conforme o agente da Defesa Civil, Redinaldo Benedito da Silva, a entrega visa ajudar as famílias de Mirassol D´Oeste que sofreram com as fortes chuvas no mês de março e que agora precisam da união de todos para superar este momento. "Nossa equipe esteve aqui e avaliou a situação do município, e com essa situação de emergência temos que dar o mínimo de dignidade para as pessoas, tentar minimizar a dor e os efeitos desse desastre natural. Infelizmente, não temos como prever destruições como essa, mas continuamos monitorando e trabalhando com ações de prevenção para que a resposta a esses acidentes seja a mais rápida possível". 

Já Maycon Zuri - Assistente Administrativo Volante da Secretaria de Assistencia Social, Trabalho e Cidadania,  vê como uma excelente resposta do Governo do Estado em trazer esses produtos que visam ajudar os que sofreram com as chuvas. "Agora iremos montar os kits para entregar às famílias de acordo com as suas perdas, sendo avaliada de acordo com as visitas realizadas por nossa equipe de assistência social."

“O trabalho da Defesa Civil não para e cumpre o seu papel em nossa cidade. Estamos em alerta desde o início do período chuvoso, e agora podemos traçar um planejamento em parceria com as secretarias que já atuam conosco nesses locais vulneráveis. Juntos, estudaremos medidas que podem ser adotadas para minimizar o impacto para quem mora nessas áreas”, explicou a Secretária de Assistência Social, Trabalho e Cidadania, Iris Leal.


Fonte: Augusto Simões |  Assessoria de Imprensa do município de Mirassol D'Oeste

sexta-feira, 15 de abril de 2016

RESPOSTA  A DESASTRES: AÇÕES  RECENTES

Nos últimos dias, as equipes da Superintendência de Proteção e Defesa Civil de Mato Grosso estiveram presentes em alguns municípios do Estado para prestar esclarecimentos e assessoria em ações de resposta ao desastre. Confira como foram as atividades:


MIRASSOL D’OESTE
Município localizado na região oeste do Estado, a 329 km da capital, foi atingido por fortes chuvas que provocaram inúmeros danos e prejuízos no fim do mês de março. Algumas pontes e cabeceiras de pontes foram destruídas perto da cidade. Na área rural, a danos em pontes de estradas vicinais e deslizamentos de pistas isolaram comunidades inteiras, além de muita erosão por todo o município. Outro prejuízo constatado foram  foram transbordamentos de  represas particulares de peixes.

Após receber pedido de apoio do prefeito de Mirassol D’Oeste, Elias Leal, o superintendente da Defesa Civil Estadual, tenente-coronel BM Cunha Jr, encaminhou imediatamente uma equipe para verificar as necessidades da população e assessorar na decretação de situação de emergência. 

A equipe formada por Benedito de Araújo Gomes, Clyderman Silvério e Eduardo Cardoso, ficou no município entre os dias 29 de março e 02 de abril fazendo o levantamento das necessidades de auxílio e orientando sobre documentos, dados e preenchimento do Sistema para a decretação de situação de emergência.

Como primeiras ações emergenciais, a Superintendência de Proteção e Defesa Civil providenciou o envio de materiais para assistência às famílias afetadas, como colchões, filtros de água, cobertores e cestas básicas.

Já o processo de decretação de situação de emergência foi finalizado no município e agora aguarda homologação do Estado para envio à Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil para reconhecimento federal.


PORTE ESPIRIDIÃO, PONTES E LACERDA E VILA BELA DA SANTÍSSIMA TRINDADE
Localizados respectivamente a 358 km, 483 km e 562 km da capital, os três municípios tiveram situação de emergência homologada pelo Estado e reconhecida pela Defesa Civil Nacional recentemente. As localidades foram atingidas durante as cheias causadas pelas chuvas no final de janeiro e somaram prejuízos de mais de R$ 11,5 milhões.

A partir da data do reconhecimento, os municípios devem encaminhar, no prazo de até 180 dias, seus planos de trabalho que viabilizarão a liberação dos recursos federais para reconstrução de pontes e outras obras destruídas por desastre.

Com a missão de auxiliar nessa importante tarefa, uma equipe da Defesa Civil Estadual foi acionada para orientar sobre a elaboração do plano de trabalho de cada um dos municípios. 

Entre os dias 28 de março e 1º de abril,  o agente de Defesa Civil, sargento BM Wagner Soares, e o engenheiro civil César Augusto Barreto estiveram na região  orientando sobre as necessidades do documento, como  descrição sumária da obra, estimativa de custo global da obra e relatório de diagnóstico. 

O plano de trabalho de Porto Espiridião já foi finalizado e enviado à Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. Os municípios de Pontes e Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade têm até o dia 19 de abril para finalizarem e encaminharem seus respectivos planos.


JAURU
O município, localizado na 463 km da capital, também recebeu a visita da equipe formada pelo agente Wagner Soares e pelo engenheiro César Augusto. 

A equipe esteve em Jauru para verificar a situação das áreas afetadas pela forte chuva que provocou danos a cerca de 3,7 mil pessoas em mais de 30 pontos da cidade no início de março. 
Como não verificou necessidade de entrega de mantimentos à população, o município foi orientado a iniciar a elaboração do plano de trabalho de reconstrução para ser encaminhado à Brasília após o reconhecimento federal da situação de emergência. 


ÁGUA BOA
Em Água Boa, a 736 km de Cuiabá,  uma equipe da Defesa Civil Estadual foi acionada por causa de um tipo de desastre chamado boçoroca.

Boçoroca (ou voçoroca) palavra que vem do tupi-guarani, "yby-soroc", (iby = terra esoroc = fenda), e significa ravina, ruptura na terra. Em Defesa Civil, é um tipo de desastre natural relacionado com a geomorfologia, o intemperismo, a erosão e a acomodação do solo. Resumindo e explicando melhor, boçoroca é um grande buraco ou barranco. No município de Água Boa, representa um grande problema atual, que está provocando prejuízos sociais e econômicos, inclusive na área urbana.

As ações da Defesa Civil na localidade ocorreram entre os dias 06 e 08 de abril e incluíram: 
  • Assessoria na criação da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (é o primeiro passo para solicitar ajuda);
  • Auxílio na abertura de conta para solicitar o Cartão de Defesa Civil;













  • Capacitação sobre o acesso ao S2ID – Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (é o sistema em que as informações do desastre são lançadas. É nele também que faz a solicitação de reconhecimento de Situação de Emergência e o processo de transferência de recursos federais em caso de desastre);
  • Vistoria das boçorocas;


  • Instruções gerais e verificação de necessidades emergenciais.


Os profissionais da Defesa Civil Estadual, Wagner Soares e Clyderman Silvério, contaram
com o apoio geólogo cedido pela METAMAT, Benedito José de Campos. 


JUINA
O superintendente da Defesa Civil Estadual, tenente coronel Cunha, e o coordenador de Prevenção e Preparação, Benedito Araújo, estiveram no município, localizado a 737 km da capital, para conversar com representantes da Prefeitura sobre ações e auxílios que podem ser conseguidos via Defesa Civil.

No roteiro de atividades que aconteceram no dia 09 de abril, o superintendente vistoriou algumas pontes e atendeu a imprensa local para entrevistas.

REGIÃO DO ARAGUAIA
Os representantes da Defesa Civil Estadual, major BM Washington Duarte, sargento BM Wagner Soares e o agente João Pinheiro, participaram da caravana da Secretaria de Estado das Cidades pela região do sul do Araguaia mato-grossense.

As atividades tiveram início no dia 12 de abril, nos municípios de Novo São Joaquim e General Carneiro. Na quarta-feira, 13 de abril, as ações foram realizadas nos municípios de Ponte Branca e Ribeirãozinho. Já no dia 14 de abril, as equipes passaram por Torixoréu e Araguaiana. E na sexta-feira, 15 de abril, os trabalhos foram desenvolvidos em Barra do Garças e Pontal do Araguaia. 

Mais do que apresentar suas ações, a equipe de Proteção e Defesa Civil aproveitou a oportunidade para providenciar a abertura de conta dos municípios visitados para que esses consigam o cartão de Defesa Civil (o cartão é um meio de repasse imediato de recursos para resposta a desastres).

Cada município visitado também recebeu modelo de Lei e orientações para a criação da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil. Como é no município que os desastres acontecem, é fundamental  a existência  da Coordenadoria Municipal para que, com o apoio da Defesa Civil Estadual, possa coordenar as ações de prevenção, mitigação, resposta e reconstrução.

Sobre a caravana
A viagem teve o objetivo de apresentar a  proposta para início dos planos diretores nas cidades que compõem o Consórcio Portal do Araguaia. Além da Defesa Civil, as demais equipes da Secretaria de Estado das Cidades ( habitação, saneamento básico, mobilidade urbana, convênios e obras públicas) realizaram atendimento técnico aos servidores que atuam nas áreas urbanas de cada um dos municípios.

Fonte: Cida Rodrigues | Publicidade Defesa Civil Estadual

segunda-feira, 4 de abril de 2016

AÇÃO INTEGRADA COMBATE O AEDES AEGYPTI NA REGIÃO DO CRISTO REI


Em guerra contra o mosquito Aedes aegypti, vetor de doenças como a dengue, zika e chikungunya, um "exército de cidadania" tomou as ruas e avenidas de três bairros da região do Cristo Rei, em Várzea Grande, na manhã deste domingo (03.04).

De casa em casa, a ação de combate e conscientização reuniu esforços da Secretaria de Segurança Pública, por meio da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, da Secretaria Estadual de Saúde, da Defesa Civil e da Vigilância Epidemiológica do município.

Abertura das atividades com a presença dos representantes da Casa Civil, SESP,  Defesa Civil e SES
A concentração foi realizada às 8h, no miniestádio Dito Souza. De lá, divididos em equipes e regiões, partiram mais de 400 integrantes, entre Policiais Militares, alunos dos cursos de formação da PM e dos Bombeiros, agentes da Defesa Civil, voluntários e agentes de saúde municipais.

Todos receberam capacitação para identificar focos e áreas de risco, além de técnicas para abordar os moradores, contornar eventuais resistências e conscientizá-los sobre a importância do combate permanente aos criadouros. 

"É um exército de cidadania. O que estes homens e mulheres estão fazendo é levar cidadania para dentro da casa das pessoas e pedir que cada uma delas se engaje nesta luta, que é permanente", disse o secretário de Segurança Pública, Rogers Elizandro Jarbas.

Até o final da ação, segundo o planejamento da Defesa Civil, cerca de 3.000 residências seriam visitadas e vistoriadas nos bairros Cristo Rei, Cohab Cristo Rei e Cohab Dom Bosco.

"Nossa missão é muito importante, mas também simples: alertar a população sobre a importância de evitar a proliferação do mosquito. Por isso, todas as casas têm de ser vistoriadas", disse o superintendente da Defesa Civil, tenente-coronel Abadio da Cunha Júnior.

Integração 

A primeira ação integrada contra o mosquito Aedes aegypti foi realizada em 19 de fevereiro, nos bairro CPA I e CPA II, em Cuiabá. À ocasião, 2.859 casas foram visitadas e os resultados, segundo o superintendente da Defesa Civil, foram "muito positivos".
"Não apenas do ponto de vista do combate em si, mas também por fatores como a receptividade da população e a integração das forças, que funcionou perfeitamente", avaliou.

No Cristo Rei, os moradores também demonstraram receptividade às equipes da ação integrada. Foi o caso do aposentado Edivaldo Vieira dos Anjos, que tem 67 anos e é morador do bairro desde a década de 1970.

Declarando-se "preocupado" com o avanço das doenças relacionadas ao mosquito, ele avaliou a ação como uma "necessidade urgente".

"A coisa está feia e as pessoas precisam saber disso. Quem não cuida do seu quintal, prejudica a si mesmo e aos outros", disse.

O estudante universitário Diego Souza, 23, também disse aprovar a iniciativa. Morador de uma república com vários outros estudantes, ele acompanhou a vistoria e tirou dúvidas a respeito das medidas de prevenção. "Essas ações tinham que acontecer sempre", avaliou.

Para organizar as vistorias, a área alvo foi dividida em três regiões, cada qual com sua base e coordenador.  As equipes (formadas por um PM, um bombeiro e um agente ou voluntário da Defesa Civil) recebiam a designação de uma rua e a missão de realizar a varredura completa nos imóveis residenciais e comerciais.


Secretário da Sesp/MT, Rogers Jarbas, e o Superintendente da Defesa Civil, Cunha Jr., analisando o mapa da atividade
“Cada equipe tem uma ficha e a sua rua identificada no mapa. O trabalho consiste em bater nas casas, abordar os moradores, verificar o espaço e identificar se tem foco. Se tiver foco, acionamos os agentes da prefeitura, que imediatamente entram e aplicam o veneno”, disse o tenente-coronel Cunha.

Ainda sem datas definidas, as próximas etapas do trabalho estão previstas para os bairros Coophamil e Boa Esperança, em Cuiabá. O secretário Rogers Jarbas disse que as forças da Segurança Pública continuarão a integrar o trabalho.

"Combater os focos é uma luta diária, constante, ininterrupta. E essa integração entre as forças vem demonstrando a capacidade do Estado em dar resposta a uma demanda urgente como essa. Seguiremos juntos e com cada vez mais força."

Fonte: Rodrigo Vargas | Assessoria Sesp-MT 
Fotos: Vani Cunha e Cida Rodrigues
DEFESA CIVIL CONCLUI MAPEAMENTO DE ÁREAS DE RISCO EM 18 MUNICÍPIOS

Com o objetivo de identificar e armazenar dados das principais áreas de risco de Mato Grosso, a Secretaria de Estado das Cidades (Secid), por meio da Superintendência de Defesa Civil, iniciou em 2015 o mapeamento geográfico das regiões. Ao todo, já são 18 cidades, sendo que a maioria conta também com o monitoramento realizado pelo órgão. A operação recente foi executada na região Oeste, afetada por enxurradas no mês de janeiro.

A proposta do mapeamento é que as informações sejam catalogadas para facilitar ações de proteção e prevenção de desastres naturais. Em março, integrando as ações desenvolvidas pelo Governo na transferência simbólica da Capital para Vila Bela da Santíssima Trindade, a Secid encaminhou equipes para o município. Concentrados na cidade, os agentes seguiram até Porto Esperidião para mapear os pontos afetados pelas fortes chuvas. Entre as áreas percorridas está a região da Vila Cardoso, onde foram registrados os maiores prejuízos às famílias.

O gerente de Mapeamento de Áreas de Riscos, sargento José Bruno de Souza Filho, explica que a identificação de pontos críticos é fundamental no atendimento aos atingidos em desastres e emergências. Segundo ele, o mapeamento auxilia no planejamento de ações que reduzam danos aos moradores locais diante destas situações. A equipe esteve na cidade por dois dias colhendo as coordenadas geográficas dos pontos de alagamento.

“O mapeamento possibilita não só a visualização das áreas de risco no Estado, como também a quantidade de famílias que moram ali. Em casos de desastres naturais, como a enxurrada do mês de janeiro, seria possível, por exemplo, atuar na retirada das famílias para evitar que elas estivessem nos imóveis no momento das cheias”.


Informações exatas

De acordo com o superintendente da Defesa Civil, tenente-coronel Abadio da Cunha Júnior, o objetivo do órgão é criar um mapa geral com as principais áreas de risco do Estado. Ele ressalta que a instituição já é responsável pelo monitoramento dos locais por meio de satélites.

“Neste primeiro momento, priorizamos as cidades que já passaram por situações de desastres, até para que o Estado possa se prevenir caso ocorra novamente. Em seguida, o mapeamento será realizado em outras áreas para que tenhamos todos estes dados compilados”, pontua.

O titular da Secid, o secretário Eduardo Chiletto pontua como primordial o trabalho de mapeamento das áreas de risco. Segundo ele, para que o Estado amplie as ações e dê a devida assistência aos municípios, quando registrados desastres, é preciso ter informações concretas e reais. “Quando se conhece a realidade in loco, as ações são direcionadas e preventivas. Além de evitar danos às famílias, o mapeamento das regiões de risco contribui para um bom planejamento urbano”.    

Apesar do trabalho inicialmente ter tido como foco Porto Esperidião, as equipes da Defesa Civil retornarão à região para mapear também as cidades de Pontes e Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade. As três localidades tiveram situação de emergência homologada pelo Estado e reconhecida pela Defesa Civil Nacional recentemente. Ao todo, os prejuízos somam quase R$ 12 milhões nos municípios.
Foto: José Medeiros - Gcom/MT
Fonte: Bruna Pinheiro - Assessoria Secid

sexta-feira, 1 de abril de 2016

NOVA AÇÃO DE INTEGRAÇÃO PARA O COMBATE AO AEDES

As instituições de segurança pública do Estado de Mato Grosso, Corpo de Bombeiros Militar e Polícia Militar, vão se unir mais uma vez à Defesa Civil Estadual e à Secretaria de Estado da Saúde para ajudar no combate ao mosquito Aedes aegypti. 

No próximo domingo, dia 3 de abril, a integração entre essas instituições estaduais colocará mais de 400 pessoas para orientar e vistoriar as residências da região do Grande Cristo Rei, em Várzea Grande. 

Para levar informações sobre os cuidados necessários para conter a proliferação do vetor da dengue, febre chikungunya e zika vírus, estarão envolvidos 150 alunos a soldados da Polícia Militar, 150 alunos a soldados do Corpo de Bombeiros e cerca de 100 voluntários de Defesa Civil.

As duas turmas de alunos a soldados dos órgãos de Segurança Pública e os voluntários de Defesa Civil foram capacitados por técnicos da Secretaria de Estado de Saúde (SES) no curso de Noções Básicas para Ações de Prevenção e Controle do mosquito Aedes aegypti. Promovido pela Sala de Coordenação e Controle para o desenvolvimento de ações de combate ao vetor, o curso oferece informações sobre a abordagem durante a visita domiciliar ou comercial, sobre o ciclo de vida do mosquito e os criadouros preferenciais. Agora capacitados, eles serão os multiplicadores do aprendizado que receberam durante o curso. 

Essa será a segunda vez que as instituições se unem para uma ação nos bairros. A primeira ocorreu no dia 19 de fevereiro, nos bairros CPA I e CPA II, em Cuiabá. Na ocasião, foram visitadas 2.859 residências.  

A ação do próximo domingo terá início às 8h e o local de saída será o mini-estádio Dito Souza, no Cristo Rei, que fica na avenida Professora Isabel Pinto, próximo do Batalhão da Polícia Militar.