segunda-feira, 4 de abril de 2016

AÇÃO INTEGRADA COMBATE O AEDES AEGYPTI NA REGIÃO DO CRISTO REI


Em guerra contra o mosquito Aedes aegypti, vetor de doenças como a dengue, zika e chikungunya, um "exército de cidadania" tomou as ruas e avenidas de três bairros da região do Cristo Rei, em Várzea Grande, na manhã deste domingo (03.04).

De casa em casa, a ação de combate e conscientização reuniu esforços da Secretaria de Segurança Pública, por meio da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, da Secretaria Estadual de Saúde, da Defesa Civil e da Vigilância Epidemiológica do município.

Abertura das atividades com a presença dos representantes da Casa Civil, SESP,  Defesa Civil e SES
A concentração foi realizada às 8h, no miniestádio Dito Souza. De lá, divididos em equipes e regiões, partiram mais de 400 integrantes, entre Policiais Militares, alunos dos cursos de formação da PM e dos Bombeiros, agentes da Defesa Civil, voluntários e agentes de saúde municipais.

Todos receberam capacitação para identificar focos e áreas de risco, além de técnicas para abordar os moradores, contornar eventuais resistências e conscientizá-los sobre a importância do combate permanente aos criadouros. 

"É um exército de cidadania. O que estes homens e mulheres estão fazendo é levar cidadania para dentro da casa das pessoas e pedir que cada uma delas se engaje nesta luta, que é permanente", disse o secretário de Segurança Pública, Rogers Elizandro Jarbas.

Até o final da ação, segundo o planejamento da Defesa Civil, cerca de 3.000 residências seriam visitadas e vistoriadas nos bairros Cristo Rei, Cohab Cristo Rei e Cohab Dom Bosco.

"Nossa missão é muito importante, mas também simples: alertar a população sobre a importância de evitar a proliferação do mosquito. Por isso, todas as casas têm de ser vistoriadas", disse o superintendente da Defesa Civil, tenente-coronel Abadio da Cunha Júnior.

Integração 

A primeira ação integrada contra o mosquito Aedes aegypti foi realizada em 19 de fevereiro, nos bairro CPA I e CPA II, em Cuiabá. À ocasião, 2.859 casas foram visitadas e os resultados, segundo o superintendente da Defesa Civil, foram "muito positivos".
"Não apenas do ponto de vista do combate em si, mas também por fatores como a receptividade da população e a integração das forças, que funcionou perfeitamente", avaliou.

No Cristo Rei, os moradores também demonstraram receptividade às equipes da ação integrada. Foi o caso do aposentado Edivaldo Vieira dos Anjos, que tem 67 anos e é morador do bairro desde a década de 1970.

Declarando-se "preocupado" com o avanço das doenças relacionadas ao mosquito, ele avaliou a ação como uma "necessidade urgente".

"A coisa está feia e as pessoas precisam saber disso. Quem não cuida do seu quintal, prejudica a si mesmo e aos outros", disse.

O estudante universitário Diego Souza, 23, também disse aprovar a iniciativa. Morador de uma república com vários outros estudantes, ele acompanhou a vistoria e tirou dúvidas a respeito das medidas de prevenção. "Essas ações tinham que acontecer sempre", avaliou.

Para organizar as vistorias, a área alvo foi dividida em três regiões, cada qual com sua base e coordenador.  As equipes (formadas por um PM, um bombeiro e um agente ou voluntário da Defesa Civil) recebiam a designação de uma rua e a missão de realizar a varredura completa nos imóveis residenciais e comerciais.


Secretário da Sesp/MT, Rogers Jarbas, e o Superintendente da Defesa Civil, Cunha Jr., analisando o mapa da atividade
“Cada equipe tem uma ficha e a sua rua identificada no mapa. O trabalho consiste em bater nas casas, abordar os moradores, verificar o espaço e identificar se tem foco. Se tiver foco, acionamos os agentes da prefeitura, que imediatamente entram e aplicam o veneno”, disse o tenente-coronel Cunha.

Ainda sem datas definidas, as próximas etapas do trabalho estão previstas para os bairros Coophamil e Boa Esperança, em Cuiabá. O secretário Rogers Jarbas disse que as forças da Segurança Pública continuarão a integrar o trabalho.

"Combater os focos é uma luta diária, constante, ininterrupta. E essa integração entre as forças vem demonstrando a capacidade do Estado em dar resposta a uma demanda urgente como essa. Seguiremos juntos e com cada vez mais força."

Fonte: Rodrigo Vargas | Assessoria Sesp-MT 
Fotos: Vani Cunha e Cida Rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário