sexta-feira, 15 de abril de 2016

RESPOSTA  A DESASTRES: AÇÕES  RECENTES

Nos últimos dias, as equipes da Superintendência de Proteção e Defesa Civil de Mato Grosso estiveram presentes em alguns municípios do Estado para prestar esclarecimentos e assessoria em ações de resposta ao desastre. Confira como foram as atividades:


MIRASSOL D’OESTE
Município localizado na região oeste do Estado, a 329 km da capital, foi atingido por fortes chuvas que provocaram inúmeros danos e prejuízos no fim do mês de março. Algumas pontes e cabeceiras de pontes foram destruídas perto da cidade. Na área rural, a danos em pontes de estradas vicinais e deslizamentos de pistas isolaram comunidades inteiras, além de muita erosão por todo o município. Outro prejuízo constatado foram  foram transbordamentos de  represas particulares de peixes.

Após receber pedido de apoio do prefeito de Mirassol D’Oeste, Elias Leal, o superintendente da Defesa Civil Estadual, tenente-coronel BM Cunha Jr, encaminhou imediatamente uma equipe para verificar as necessidades da população e assessorar na decretação de situação de emergência. 

A equipe formada por Benedito de Araújo Gomes, Clyderman Silvério e Eduardo Cardoso, ficou no município entre os dias 29 de março e 02 de abril fazendo o levantamento das necessidades de auxílio e orientando sobre documentos, dados e preenchimento do Sistema para a decretação de situação de emergência.

Como primeiras ações emergenciais, a Superintendência de Proteção e Defesa Civil providenciou o envio de materiais para assistência às famílias afetadas, como colchões, filtros de água, cobertores e cestas básicas.

Já o processo de decretação de situação de emergência foi finalizado no município e agora aguarda homologação do Estado para envio à Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil para reconhecimento federal.


PORTE ESPIRIDIÃO, PONTES E LACERDA E VILA BELA DA SANTÍSSIMA TRINDADE
Localizados respectivamente a 358 km, 483 km e 562 km da capital, os três municípios tiveram situação de emergência homologada pelo Estado e reconhecida pela Defesa Civil Nacional recentemente. As localidades foram atingidas durante as cheias causadas pelas chuvas no final de janeiro e somaram prejuízos de mais de R$ 11,5 milhões.

A partir da data do reconhecimento, os municípios devem encaminhar, no prazo de até 180 dias, seus planos de trabalho que viabilizarão a liberação dos recursos federais para reconstrução de pontes e outras obras destruídas por desastre.

Com a missão de auxiliar nessa importante tarefa, uma equipe da Defesa Civil Estadual foi acionada para orientar sobre a elaboração do plano de trabalho de cada um dos municípios. 

Entre os dias 28 de março e 1º de abril,  o agente de Defesa Civil, sargento BM Wagner Soares, e o engenheiro civil César Augusto Barreto estiveram na região  orientando sobre as necessidades do documento, como  descrição sumária da obra, estimativa de custo global da obra e relatório de diagnóstico. 

O plano de trabalho de Porto Espiridião já foi finalizado e enviado à Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. Os municípios de Pontes e Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade têm até o dia 19 de abril para finalizarem e encaminharem seus respectivos planos.


JAURU
O município, localizado na 463 km da capital, também recebeu a visita da equipe formada pelo agente Wagner Soares e pelo engenheiro César Augusto. 

A equipe esteve em Jauru para verificar a situação das áreas afetadas pela forte chuva que provocou danos a cerca de 3,7 mil pessoas em mais de 30 pontos da cidade no início de março. 
Como não verificou necessidade de entrega de mantimentos à população, o município foi orientado a iniciar a elaboração do plano de trabalho de reconstrução para ser encaminhado à Brasília após o reconhecimento federal da situação de emergência. 


ÁGUA BOA
Em Água Boa, a 736 km de Cuiabá,  uma equipe da Defesa Civil Estadual foi acionada por causa de um tipo de desastre chamado boçoroca.

Boçoroca (ou voçoroca) palavra que vem do tupi-guarani, "yby-soroc", (iby = terra esoroc = fenda), e significa ravina, ruptura na terra. Em Defesa Civil, é um tipo de desastre natural relacionado com a geomorfologia, o intemperismo, a erosão e a acomodação do solo. Resumindo e explicando melhor, boçoroca é um grande buraco ou barranco. No município de Água Boa, representa um grande problema atual, que está provocando prejuízos sociais e econômicos, inclusive na área urbana.

As ações da Defesa Civil na localidade ocorreram entre os dias 06 e 08 de abril e incluíram: 
  • Assessoria na criação da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (é o primeiro passo para solicitar ajuda);
  • Auxílio na abertura de conta para solicitar o Cartão de Defesa Civil;













  • Capacitação sobre o acesso ao S2ID – Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (é o sistema em que as informações do desastre são lançadas. É nele também que faz a solicitação de reconhecimento de Situação de Emergência e o processo de transferência de recursos federais em caso de desastre);
  • Vistoria das boçorocas;


  • Instruções gerais e verificação de necessidades emergenciais.


Os profissionais da Defesa Civil Estadual, Wagner Soares e Clyderman Silvério, contaram
com o apoio geólogo cedido pela METAMAT, Benedito José de Campos. 


JUINA
O superintendente da Defesa Civil Estadual, tenente coronel Cunha, e o coordenador de Prevenção e Preparação, Benedito Araújo, estiveram no município, localizado a 737 km da capital, para conversar com representantes da Prefeitura sobre ações e auxílios que podem ser conseguidos via Defesa Civil.

No roteiro de atividades que aconteceram no dia 09 de abril, o superintendente vistoriou algumas pontes e atendeu a imprensa local para entrevistas.

REGIÃO DO ARAGUAIA
Os representantes da Defesa Civil Estadual, major BM Washington Duarte, sargento BM Wagner Soares e o agente João Pinheiro, participaram da caravana da Secretaria de Estado das Cidades pela região do sul do Araguaia mato-grossense.

As atividades tiveram início no dia 12 de abril, nos municípios de Novo São Joaquim e General Carneiro. Na quarta-feira, 13 de abril, as ações foram realizadas nos municípios de Ponte Branca e Ribeirãozinho. Já no dia 14 de abril, as equipes passaram por Torixoréu e Araguaiana. E na sexta-feira, 15 de abril, os trabalhos foram desenvolvidos em Barra do Garças e Pontal do Araguaia. 

Mais do que apresentar suas ações, a equipe de Proteção e Defesa Civil aproveitou a oportunidade para providenciar a abertura de conta dos municípios visitados para que esses consigam o cartão de Defesa Civil (o cartão é um meio de repasse imediato de recursos para resposta a desastres).

Cada município visitado também recebeu modelo de Lei e orientações para a criação da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil. Como é no município que os desastres acontecem, é fundamental  a existência  da Coordenadoria Municipal para que, com o apoio da Defesa Civil Estadual, possa coordenar as ações de prevenção, mitigação, resposta e reconstrução.

Sobre a caravana
A viagem teve o objetivo de apresentar a  proposta para início dos planos diretores nas cidades que compõem o Consórcio Portal do Araguaia. Além da Defesa Civil, as demais equipes da Secretaria de Estado das Cidades ( habitação, saneamento básico, mobilidade urbana, convênios e obras públicas) realizaram atendimento técnico aos servidores que atuam nas áreas urbanas de cada um dos municípios.

Fonte: Cida Rodrigues | Publicidade Defesa Civil Estadual

Nenhum comentário:

Postar um comentário