quinta-feira, 19 de maio de 2016

CURSO CAPACITA BOMBEIROS EM AÇÕES DE DEFESA CIVIL 

De quarta, 18, até sexta-feira, 20, Tangará da Serra sedia o curso Ações de Defesa Civil direcionado a coordenadores municipais de Proteção e Defesa Civil da região e bombeiros militares de vários municípios do Estado. A capacitação é oferecida pela Defesa Civil Estadual e foi planejada para atender a necessidade de qualificação de agentes que possam assessorar os municípios mato-grossenses nas decretações e nas ações de prevenção, resposta e reconstrução.

Conforme a comandante da 3ª Companhia Independente de Bombeiros Militar de Tangará da Serra, Capitã BM Poliana Simões, é fundamental a preparação dos bombeiros para atuação nas atividades de Defesa Civil. “Para os bombeiros militares de Mato Grosso é muito importante ouvir, falar e fazer Defesa Civil. Em vários Estados brasileiros a Defesa Civil está inserida nas atribuições do Corpo de Bombeiros. Agora, com esse curso, nós também temos a possibilidade de trocar e compartilhar experiências, qualificando nossos bombeiros e aprimorando ainda mais a nossa atuação. Agradecemos a Defesa Civil Estadual pela  atitude em fazer um curso como esse e agradecemos ainda mais por trazê-lo para Tangará da Serra”, disse a capitã.
Capitã BM Poliana de Tangará da Serra em pose com o tenente BM Lucas Brito de Rondonópolis, tenente coronel BM Cunha Jr. da Defesa Civil Estadual e tenente BM Felipe Augusto de Alta Floresta 
Além 3ª Companhia,  as unidades do Corpo de Bombeiros Militar de Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Lucas do Rio Verde, Sinop, Nova Xavantina, Barra do Garças, Cáceres, Pontes e Lacerda e Alta Floresta enviaram representantes para o curso.  

Para o tenente coronel BM Cunha Jr, superintendente da Defesa Civil Estadual, a participação de bombeiros militares na capacitação vai possibilitar uma importante contribuição  no atendimento à população de todo o Estado.  “como o Corpo de Bombeiros tem uma estrutura regionalizada, os municípios mato-grossenses poderão ter suporte mais ágil desde a prevenção até a reconstrução das áreas atingidas por desastres. Junto com o Corpo de Bombeiros, as ações de Defesa Civil podem ser fortalecidas nos municípios”, explicou Cunha.

Durante a capacitação, os participantes recebem informações sobre os objetivos e definições da área de  Proteção e Defesa Civil, sobre mapeamento de áreas de risco e aprendem a elaborar planos de resposta e plano de trabalho em Defesa Civil e a preencher o Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2ID), que é o sistema em que se faz o registro de desastres, a solicitação de reconhecimento federal da situação de emergência  e de estado de calamidade Pública, a solicitação de recursos federais e a respectiva prestação de contas.

O curso Ações de Defesa Civil acontece no laboratório de informática da Escola Municipal Dom Bosco, em Tangará da Serra. Também participam do curso os coordenadores municipais de Proteção e Defesa Civil de Tangará da Serra, Gilvane Mendonça da Silva, e de Nova Olímpia, Valdeci dos Anjos Gonçalves (Braddock).


Fonte: Cida Rodrigues | Publicidade - Defesa Civil Estadual

segunda-feira, 16 de maio de 2016

AÇÃO INTEGRADA DO BOA

Boa é o apelido carinhoso que a população deu ao bairro localizado nas proximidades da UFMT, em Cuiabá. Na manhã de domingo, 15, seus moradores foram beneficiados com a quarta ação integrada de combate ao Aedes Aegypti. 

A ação mobilizou esforços da Secretaria de Segurança Pública, por meio da Polícia Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, da Secretaria de Estado das Cidades, por meio da Defesa Civil, da Secretaria de Estado da Saúde e da Associação de Moradores do Bairro Boa Esperança. 

Cerca de 400 pessoas participaram da mobilização (100 alunos da PM, 100 alunos da Polícia Civil, 100 alunos do Corpo de Bombeiros e 100 voluntários de Defesa Civil e do bairro Boa Esperança). 

Representantes da Segurança Pública presentes na ação, os alunos dos cursos de formação da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Polícia Civil sentiram que a integração das forças aumenta a credibilidade das orientações ao mesmo tempo que fortalece a relação de proximidade das instituições com a população.  Foi essa característica que marcou a primeira participação do aluno da Polícia Militar, Anderson Fermiano de Figueiredo. Para ele, o contato direto e mais próximo ajuda a humanizar a PM perante os cidadãos. “Todos os moradores que nos recebem acabam tendo uma visão diferente e mais positiva da corporação”, contou. 
Os alunos Diógenes Ferreira Jr (Polícia Civil), Ray Manoel da Silva (BM) e Anderson Fermiano de Figueiredo (PM)
Além das instituições parceiras, a Defesa Civil Estadual contou com outras contribuições valorosas para a realização da atividade. Um dos auxílios fundamentais vem da Liga de Amadores Brasileiros de Rádio Emissão – LABRE/MT. Importante colaboradora da ação integrada desde a primeira edição, a Labre/MT acompanha e coordena a comunicação via rádio. Segundo o radioamador José Gonçalves de Sena,  a Liga faz questão de participar continuamente da ação integrada porque sabe da importância de levar essas orientações diretamente aos moradores. “Se não ajudarmos a combater o mosquito Aedes agora, o futuro de todos será trágico”, comentou Sena.
O radioamador Sena (segundo da direita para a esquerda) ao lado de outros integrantes da ação
Como nas demais edições, o objetivo da ação foi levar orientações sobre  os criadouros preferenciais e as formas de combater o mosquito transmissor das doenças dengue, zika e chikungunya.  A concentração aconteceu na Praça da Paz, também conhecida como Praça das Quadras. De lá, as equipes saíram para visitar casa por casa, totalizando 1.510 imóveis trabalhados. 

Apesar de um número considerável de imóveis fechados (796), a  presidente da Associação de Moradores, Andreia Delgado, considerou muito útil a mobilização. Segundo Andreia, muita gente pôde ser visitada e receber o lembrete sobre a necessidade de inspeção e limpeza constante dos possíveis depósitos de ovos do Aedes Aegypti. Durante a ação integrada, Andreia não se cansava de mostrar os elogios recebidos dos moradores que fazem parte de um grupo em aplicativo social, dentre os quais se destaca o depoimento do morador Orlando Simione, da rua 9, dizendo “gente, a equipe passou na minha rua. É um pessoal muito educado. Parabéns a todos os envolvidos nessa ação”.


Fonte: Cida Rodrigues | Publicidade - Defesa Civil Estadual


quinta-feira, 12 de maio de 2016

ALTO RISCO DE DENGUE E ZIKA EM MATO GROSSO

Mato Grosso está em alerta devido ao aumento nas notificações de casos suspeitos para dengue, zika vírus e febre chikungunya. Com base no Boletim Epidemiológico desta semana, 86 municípios, que representam 61%, estão classificados como alto risco de dengue. Para o zika vírus são 56% das cidades do estado (79), com alto risco de transmissão.



Este ano já foram registrados 22.528 casos de dengue. No mesmo período, no ano de 2015, foram registradas 13.078 notificações, o que representa um aumento de quase 72%. Este ano há registro de quatro mortes confirmadas nos municípios de Cuiabá, Juína, Sinop e Tangará da Serra.

Em relação ao zika vírus são 20.829 casos suspeitos no Estado. Devido à incidência, Mato Grosso está em risco alarmante, com 637 casos por 100 mil habitantes.

Sobre o registro de febre chikungunya, são 1.202 casos suspeitos. Esse número representa uma incidência de 36,8 casos para cada grupo de 100 mil habitantes. Três municípios estão classificados com alto risco da doença.

Diante do aumento no número de casos notificados, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) reforça o alerta para a intensificação das ações de prevenção e controle das doenças nos 141 municípios mato-grossenses.


A SES orienta a população para evitar os criadouros do mosquito transmissor e prevenir, além da dengue, a febre chikungunya e o zika vírus. O Estado monitora semanalmente a progressão dos casos e faz o trabalho de orientação junto aos municípios para que as ações sejam intensificadas. Porém, 80% dos criadouros do mosquito estão nas residências, por isso é importante o envolvimento da população.

Para reduzir os impactos causados pelo mosquito, a SES alerta os municípios para que mantenham a rede atenta para o diagnóstico precoce da doença e o manejo correto para que mortes sejam evitadas. Além disso, devem ser desenvolvidas ações de mobilização, inspeções domiciliares para eliminação de criadouros do mosquito, atividades educativas para orientar a população sobre como evitar focos do vetor, como também aplicação de inseticida para eliminação de insetos adultos.


Fonte: Maricelle Lima Vieira | SES-MT 

terça-feira, 10 de maio de 2016

DEFESA CIVIL AGORA É SECRETARIA ADJUNTA

O Decreto 546 de 05 de maio de 2016 representa um marco histórico na estrutura do órgão de Proteção e Defesa Civil de Mato Grosso. Por meio dele, o status do órgão passa de Superintendência para Secretaria Adjunta vinculada à Secretaria de Estado das Cidades. 

Criado em 1973 sob a denominação de Coordenadoria Estadual de Defesa Civil e com posição de Superintendência a partir de 2003, o órgão foi ligado a diversas Secretarias Estaduais - como Casa Civil, Casa Militar, Meio Ambiente e Vice-Governadoria - até ser vinculado à Secretaria de Estado das Cidades no início de 2015. 

Para o atual superintendente de Proteção e Defesa Civil, tenente coronel Cunha Junior, a promoção do órgão representa um reconhecimento pelos trabalhos realizados nesses 43 anos de existência. “É uma  valorização  que enaltece o esforço de todos os profissionais que trabalham em Defesa Civil, não só do Estado mas de todo o país, pois mostra a importância da atividade que visa tornar a sociedade menos vulnerável e mais resiliente”, comentou.
Secretário de Estado das Cidades, Eduardo Chiletto, e o superintendente ten. cel. Cunha Junior
Cunha Júnior também fez questão de agradecer o Secretário de Estado das Cidades, Eduardo Chiletto, pela decisão junto ao Governo do Estado de alterar a estrutura organizacional da Secretaria para inserir a Proteção e Defesa Civil em nível de direção superior. “Agradecemos o reconhecimento. Aceitamos o desafio e nos comprometemos a honrar a nobre missão de trabalhar para cuidar de pessoas, adotando as medidas necessárias à redução dos riscos de desastre em Mato Grosso”, finalizou Cunha Júnior. 


Fonte: Cida Rodrigues | Publicidade Defesa Civil Estadual
Foto: Vani Cunha

quinta-feira, 5 de maio de 2016

RECONHECIMENTO PELO SERVIÇO PRESTADO EM JAURU


Em março, a Defesa Civil Estadual foi acionada pelo município de Jauru para verificar a situação das áreas afetadas pelas fortes chuvas que ocorreram por lá naquele mês.

Como é de praxe nesses casos, equipes foram mobilizadas para prestar apoio técnico e de pessoal ao município. E além da honra em poder contribur em todo o processo, que vai desde o registro do desastre para decretação de situação de emergência à elaboração do plano de trabalho para solitação de recursos federais de reconstrução, o órgão de Proteção e Defesa Civil de Mato Grosso recebeu nesta semana mais uma grande gratificação: um agradecimento especial da Prefeitura de Jauru. 

Confira o reconhecimento:


Fonte: Cida Rodrigues | Publicidade Defesa Civil Estadual

segunda-feira, 2 de maio de 2016

GUERRA CONTRA O AEDES: TERCEIRA AÇÃO INTEGRADA EM CUIABÁ

Os bairros da região do Coophema, em Cuiabá, foram o cenário da terceira ação integrada de combate ao Aedes Aegypti no último sábado, 30.  Cerca de 100 equipes formadas por um aluno do curso de formação de Bombeiros Militar, um aluno do curso de investigador da Polícia Civil e um voluntário de Defesa Civil visitaram casa por casa nos bairros Nossa Senhora Aparecida, Vista Alegre, Coophema, Jardim Gramado e Parque Geórgia.

Mais uma vez o objetivo da ação foi levar aos moradores as orientações sobre  os criadouros preferenciais e as formas de combater o mosquito transmissor das doenças dengue, zika e chikungunya.

A abertura da ação integrada contou com a participação do Secretário Executivo de Segurança Pública, Carlos Correia Ribeiro Neto, do  comandante geral do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Júlio Cesar Rodrigues, do diretor da Academia de Polícia Judiciária Civil, delegado Carlos Fernando da Cunha, da Secretária Adjunta da Secretaria de Estado de Saúde, Maria Salete Ribeiro e do superintendente da Defesa Civil Estadual, ten. Cel. Abadio José da Cunha Jr.

Alunos da escola estadual Hermelinda de Figueiredo, que fica no bairro Coophema, também prestigiaram a abertura da ação. Munidos de faixas e cartazes, os estudantes mostraram que podem e querem contribuir na guerra contra o mosquito. 

Após a abertura e concentração em um dos campos de futebol do parque estadual Zé Bolo Flô, cerca de 300 integrantes, divididos em equipes, partiram para as ruas  especificadas pela Defesa Civil. Cada equipe saiu com uma ficha e a sua rua identificada no mapa, abordando cada casa para orientar o morador e realizar a inspeção do local e o controle mecânico dos possíveis depósitos de ovos do Aedes Aegypti. Quando identificados focos do mosquito, agentes municipais de endemia eram acionados para aplicação do larvicida. Em pouco mais de duas horas de atividade foi possível trabalhar 2.405 residências nos cinco bairros visitados.


Para a voluntária de Defesa Civil, Vanessa Albuquerque, é muito importante levar informações diretamente para a comunidade. “Para mim é gratificante fazer o bem, passando as informações adiante. A gente vai de casa em casa, assim cara a cara as pessoas entendem melhor as orientações.  Sinto que os moradores gostam da nossa visita”, contou a voluntária.

Parte dos voluntários presente na ação integrada. Pessoas que dão muito de si para ajudar o próximo.

Fonte: Cida Rodrigues | Publicidade Defesa Civil Estadual
Fotos: Cida Rodrigues e Vani Cunha