sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Seca castiga São Félix do Araguaia e emergência pode ser decretada

 Larissa Malheiros / Defesa Civil 

 São Felix do Araguaia 

O município de São Félix do Araguaia (distante 1.159 km de Cuiabá) deve decretar situação de emergência nos próximos dias devido à estiagem. Seis assentamentos localizados na zona rural da cidade já estão sem água potável. O fato foi constatado durante visita técnica de uma equipe da Secretaria Adjunta de Proteção e Defesa Civil, no início desta semana. Além da seca, o município também vem sendo castigado com o aumento das queimadas.

Durante a visita, chefiada pelo coordenador de Resposta e Reconstrução da Defesa Civil, major BM Washington Duarte, a equipe orientou o prefeito sobre os procedimentos para decretação de emergência e debateu também as ações de resposta para minimizar o problema local.

De acordo com Duarte, se a situação de esgotamento hídrico permanecer por mais tempo, o município chegará a um colapso por desabastecimento de água na zona rural. “Essa situação já vem ocorrendo desde o início do ano com a estiagem nas lavouras e pecuária, mas neste mês se agravou ainda mais, pois chegou no estágio em que os rios e lagos estão secando e comprometendo o abastecimento de água potável para os munícipes que residem na área rural”, explica o major.

O problema já afetou os 56 alunos da escola Farandu, na zona rural, que precisou suspender as aulas devido à falta de água potável. Outro fator que contribui para a decretação de emergência são as queimadas, que continuam em ritmo intenso na localidade.

O município tem apenas um caminhão pipa em operação, o que é insuficiente para a grande demanda. Os assentamentos que estão em crise hídrica são: Dom Pedro, Carnaúba, Serra dos Magalhães, Mãe Maria, Lago de Pedra e Azulão da Gameleira.


A Secretaria Adjunta de Proteção e Defesa Civil integra a estrutura da Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT).

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Cidades de Mato Grosso estão entre as reconhecidas em situação de emergência pelo Ministério da Integração 

Fonte:MI




O longo período de seca e estiagem deixou 23 municípios do Maranhão, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso e Sergipe em situação de emergência. O reconhecimento federal do Ministério da Integração Nacional foi publicado nesta sexta-feira (23) no Diário Oficial da União.

No Maranhão, foram reconhecidos os municípios de Balsas, Chapadinha, Formosa da Serra Negra, Paraibano, Pastos Bons, São João dos Patos, Sítio Novo e Tufilândia. Na Bahia, estão em situação de emergência as cidades de Ibitiara, Irecê, Riacho de Santana e Rio do Antônio; em Minas Gerais, os municípios de Francisco Badaró, Itaobim e Jenipapo de Minas; no Mato Grosso estão Água Boa, Cláudia e Querência; em Sergipe, os municípios de Frei Paulo, Itabi, Macambira e Nossa Senhora Aparecida. Barra de São Francisco, no Espírito Santo, também está em situação de emergência.

O reconhecimento federal permite o acesso as ações de apoio da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec). Uma delas é a implementação de programas de fornecimento de água tratada, como a Operação Carro-Pipa Federal. Também é possível obter benefícios como a renegociação de dívidas no setor de agricultura junto ao Banco do Brasil; a aquisição de cestas básicas do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário; a retomada da atividade econômica das regiões afetadas com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), entre outros.


quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Sem chuva, 8 municípios de MT homologam situação de emergência

G1

Em Mato Grosso, oito municípios homologaram situação de emergência junto à Defesa Civil Estadual, por causa da falta de chuva. Entre eles, Sorriso, Ipiranga do Norte, Gaúcha do Norte e Nova Ubiratã. Alguns deles, segundo o órgão, estão há mais de 60 dias sem chuva. Com a estiagem, o abastecimento de água área urbana e a irrigação em são afetadas.

De acordo com a Defesa Civil, os municípios de Paranatinga, Água Boa, Nova Xavantina, Novo São Joaquim, Sorriso, Ipiranga do Norte, Gaúcha do Norte e Nova Ubiratã decretaram situação de emergência por causa da seca.

Nesses municípios, a falta de chuvas afetou principalmente a agricultura e a pecuária e, ainda, os pequenos produtores locais, causando a perdas em lavouras e impactando diretamente na redução das receitas municipais, que se baseiam principalmente no setor agropecuário. Ao decretar a situação de emergência e ter o estado reconhecido, os municípios recebem ajuda financeira.


Ainda segundo a Defesa Civil, outros cinco municípios estão homologando situação de emergência também por causa da estiagem. São eles, Marcelândia, Alto Garças, Santa Cruz do Xingu, Feliz Natal, São Felix do Araguaia.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Defesa Civil distribui 500 filtros à população de Barão de Melgaço

Larissa Malheiros/Defesa Civil
Fotos: Vani Cunha

A Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT) distribuiu 500 filtros de água para a população de Barão de Melgaço (a 128 km de Cuiabá) neste fim de semana. A ação, realizada por meio da Secretaria Adjunta de Proteção e Defesa Civil, faz parte do plano de resposta feito após o município ter decretado situação de emergência por água contaminada. Além desse trabalho, uma equipe da Secid iniciou o estudo do projeto para implantar a nova rede de captação na cidade. Dezessete voluntários participaram da ação.

O secretário das Cidades, Eduardo Chiletto, e o secretário adjunto da Defesa Civil, tenente-coronel BM Abadio da Cunha, acompanharam a distribuição dos filtros e conheceram de perto as necessidades da população afetada pela contaminação da água. “Após a descoberta da contaminação na rede de distribuição de água de Barão, nossa equipe da Defesa Civil iniciou os trabalhos de auxílio para que o município decretasse situação de emergência. Em continuidade a esta resposta, distribuímos esses 500 filtros de água, para amenizar os possíveis danos à saúde dos moradores locais. Esse trabalho também é preventivo e de extrema importância ao município”, enfatizou Chiletto.

Muitas famílias não teriam condições de adquirir o filtro de água, e se surpreenderam com a ação do Estado. É o caso da dona de casa Dinair Viana, 54 anos, moradora de Barão de Melgaço há 19 anos. “Estou muito feliz e surpresa com essa doação. É a primeira vez que o Governo vem até o nosso município com esse tipo de assistência”, explica.

Maria Bitá, 46 anos, que tira o sustento da agricultura familiar, diz que se sentia esquecida no município, mas que nunca perdeu a esperança de consumir água limpa. “Esperávamos há muito tempo para tomar uma água limpa. Minha família não tem condições de comprar água mineral toda semana, por isso é uma imensa alegria receber este auxílio”, contou.

A ação de entrega dos filtros terá continuidade com a conscientização da população para utilizar o utensílio. “Encontramos o município em uma situação crítica, porém agora estamos encaminhando para tentar solucionar o problema. A distribuição de filtros é um trabalho de ofício da Defesa Civil, para tentar normalizar o dia a dia da população o mais breve possível”, disse o tenente coronel Cunha.



Distribuição de água

Como parte dos trabalhos que auxiliam o município de Barão de Melgaço, a equipe de saneamento ambiental da Secid realiza levantamentos técnicos para elaborar um projeto para implantar um novo sistema de abastecimento na cidade, com tratamento de água e uma nova rede de distribuição. “Saneamento é saúde, por isso estamos concluindo todo levantamento topográfico. Queremos entregar na próxima semana para iniciar a elaboração do projeto para solucionar definitivamente o problema no abastecimento de agua e esgoto o mais rápido possível em Barão”, contou a superintendente de saneamento Denise Duarte.

O projeto será apresentado ao Ministério da Integração para captação de recursos federais. “Vamos trabalhar para garantir recursos do Governo Federal, que serão voltados para Barão e demais cidades que apresentarem este mesmo problema”, explicou Chiletto.





Entenda o caso

Após descoberta de contaminação na rede de distribuição de água, a prefeitura de Barão de Melgaço decretou, em agosto, estado de emergência por meio da coordenadoria municipal de Defesa Civil, com apoio da Secretaria Adjunta de Proteção e Defesa Civil.



sexta-feira, 16 de setembro de 2016

CIDADES ENTRAM EM ESTADO DE ALERTA PELA BAIXA UMIDADE DO AR

Larissa Malheiros | Defesa Civil 

Algumas cidades do sul e sudeste do Mato Grosso podem registrar umidade relativa do ar abaixo de 20% neste fim de semana, o que é considerado situação de alerta. A Secretaria de Estado das Cidades, por meio da Secretaria Adjunta de Proteção e Defesa Civil, alerta que a temperatura deve chegar até 40° nessas regiões e em Cuiabá. Os dados climatológicos são do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Segundo o gerente de monitoramento da Defesa Civil, sargento BM José Bruno, não há previsão de chuvas intensas para os próximos dias e a projeção é de baixa umidade. “A previsão máxima é de 40% nessas regiões. Porém, com o intenso calor, pode chegar a 20% nos horários mais quentes, das 10h às 15h”.

O sargento também destaca que parte do norte e nordeste do Estado deve ter o clima mais úmido por causa da formação de nuvens de chuvas, oriundas de Rondônia e Tocantins. Como exemplo citou a chuva de granizo, que caiu no município de Cláudia (620 km ao norte de Cuiabá) no início da semana.

No caso da baixa umidade relativa do ar são necessários alguns cuidados para a saúde, conforme demanda a Organização Mundial de Saúde. A umidade entre 21% e 30% significa estado de atenção, por isso, use umidificadores, toalhas molhadas, recipientes com água, irrigação de jardins, e sempre que possível, permaneça em locais protegidos do sol e em áreas vegetadas.

Quando a umidade fica entre 12% a 20% é considerado estado de alerta, sendo recomendado evitar aglomerações em ambientes fechados, usar soro fisiológico para os olhos e narinas. Quando a umidade cai para menos 12% o estado é considerado de emergência, sendo necessário umidificar ambientes internos e suspender aglomerações em ambientes fechados.


CONFIRA AQUI  MAIS ALGUMAS ORIENTAÇÕES
Período proibitivo de queimadas em MT deve ser prorrogado até outubro

G1

     E, neste ano, houve aumento de 53% nos registros de foco de calor em Mato Grosso



O período proibitivo das queimadas em Mato Grosso, que terminaria nessa quinta-feira (15), deverá ser prorrogado até o dia 4 de outubro. O motivo são as condições climáticas, informou a Secretaria de Estado de Meio Ambiente. Segundo a Sema, um decreto deverá ser publicado nos próximos dias sobre a mudança e existe a possibilidade de que a prorrogação se estenda até o final de outubro.
O estado enfrenta um período de escassez de chuva e baixa umidade relativa do ar em grande parte dos 141 municípios. Alguns estão há mais de 60 sem chuva, o que potencializa o risco do fogo, como foi o caso de Novo Santo Antônio, a 1.063 km de Cuiabá.


O período proibitivo de queimadas em Mato Grosso começou no dia 15 de julho. E, neste ano, houve aumento de 53% nos registros de foco de calor em Mato Grosso, que chegaram a 20 mil nos últimos dois meses, contra 9,88 mil do mesmo período do ano passado.

Desse total, 63% ocorreram em propriedades privadas, 22% em terras indígenas, 7,6% em assentamentos rurais e os demais 7,4% em unidades de conservação estadual, federal e região metropolitana da capital

Nessa quinta, instituições que integram o Comitê do Fogo, entre elas Corpo de Bombeiros, Instituto Chico Mendes de Conservação de Biodiversidade e Funai (Funai), fizeram reunião para oficializar e planejar o trabalho das próximas semanas.

A Sema informou que os focos de calor aumentaram em 47,4% em Mato Grosso em 2016. Entre 1º de janeiro e 12 de setembro, foram registrados 22,8 mil focos de calor, contra 15,4 mil do mesmo período em 2015.

Os dez municípios que mais registraram queimadas neste ano são: Colniza (1.717), Gaúcha do Norte (1.188), São Félix do Araguaia (847), Nova Nazaré (626), Ribeirão Cascalheira (614), Paranatinga (576), Nova Maringá (560), Campinápolis (546), Cotriguaçu (525) e Nova Ubiratã (498).

A estrutura de atendimento tem apoio das 18 unidades do Corpo de Bombeiros nos municípios mais populosos, oito brigadas municipais mistas em regiões mais sensíveis ao fogo (Feliz Natal, Sinop, Cláudia, Ipiranga do Norte, Vera, Sapezal, Campo Novo dos Parecis, Aripuanã, Comodoro, Porto Esperidião) e dez bases descentralizadas que deverão atender situações mais críticas.

Entre brigadas mistas e bases volantes, está previsto total de 260 oficiais de bombeiros e 48 agentes civis atuando, montante 310% maior que no ano passado. As equipes têm ainda o suporte de dois aviões de combate a incêndios florestais, com capacidade de 3,1 mil litros de água, além de veículos especializados

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Caravana da Transformação

Voluntários se destacam pela dedicação ao público

Larissa Malheiros
Assessoria de Imprensa/Defesa Civil



Ajudar o próximo é a principal missão dos 250 voluntários que atuam na Caravana da Transformação, realizada na Vila Olímpica no município de Peixoto de Azevedo, a 672 km ao norte de Cuiabá. O grupo foi especialmente treinado para O evento por equipes da Secretaria de Estado das Cidades (Secid), por meio da Secretaria Adjunta de Proteção e Defesa Civil.

Os voluntários estão no local desde o início da semana passada e só vão parar na próxima terça-feira (12.09), quando termina a segunda edição da caravana. O grupo se reveza em turnos alternados de plantão para atender de forma contínua as mais de 25 mil pessoas que buscam algum tipo de serviço na Vila Olímpica. A preparação para o trabalho começa ainda às 3h da madrugada.

Entre os 250 voluntários, existe uma equipe especial criada para auxiliar na locomoção de idosos com cadeiras de rodas. Cerca de 200 idosos devem ser atendidos até o fim do evento.

A estudante Carla Bueno, de 24 anos, faz parte desse "esquadrão do bem". Ela conta que nunca havia tido a oportunidade de atuar como voluntária. Foi a primeira vez. “Nós achávamos que estávamos esquecidos aqui no município, quando a Defesa Civil nos trouxe a chance de nos preparar para ajudar as pessoas, consegui enxergar que para ser feliz temos que nos dedicar também aos que precisam”, revela ela.

A servidora pública, de 26 anos, Tatiana Silva, compartilha da mesma opinião. Para ela, não há nada comparado ao trabalho como voluntária. "Faço com muito amor este trabalho. Essa ação tem mudado os meus dias, tenho me sentindo mais feliz”, destaca ela, afirmando que ser voluntária a possibilitou ter outra visão de mundo.

O aposentado Vasco Oliveira de 63 anos, agradeceu pela receptividade que teve ao chegar na Vila Olímpica e o atendimento oferecido após passar pela cirurgia de catarata em um dos olhos. “Logo na entrada, uma pessoa já pegou minhas mãos e me levou até o local da consulta. Após o procedimento, eles me levaram para uma cadeira e me trouxeram um lanche. Perguntei quem eram, e me responderam que eram voluntários. Achei sensacional”, disse, emocionado.

O secretário adjunto da Defesa Civil, tenente-coronel BM, Abadio da Cunha, que coordena o treinamento de voluntários, revela surpresa pela quantidade de pessoas que se propuseram a trabalhar como voluntário, destacando o carinho que cada um deles teve com as pessoas.

Segundo o secretário adjunto, o bom andamento do evento também deve-se à atuação dos voluntários. “Temos uma equipe de pessoas capacitadas atendendo a todos que chegam e precisam. Nosso pessoal mostra que para fazer o bem, basta ter a oportunidade”, frisa.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

CARAVANA DA TRANSFORMAÇÃO
Mais de 12,9 mil procedimentos médicos já foram realizados
Para auxiliar no atendimento cerca de 250 voluntários capacitados pela Defesa Civil participam da ação 

Lisânia Ghisi e Thiago Andrade | Gcom-MT 
Fotos: José Medeiros e Maria Anffe | Gcom-MT

Mais de 12,9 mil procedimentos médicos já foram realizados durante os três primeiros dias da Caravana da Transformação, em Peixoto de Azevedo. O número é referente aos atendimentos médicos, consultas, cirurgias e exames já realizados.

Até o momento, a média de público no evento é de 2,5 mil pessoas por dia. A  expectativa é de que o número de participantes seja maior a partir desta sexta-feira (09.09), já que os serviços sociais e de cidadania serão iniciados.

De acordo com o secretário adjunto de Proteção e Defesa Civil, da Secretaria de Estado das Cidades (Secid), tenente-coronel Abadio José da Cunha Junior, para auxiliar nas atividades que estão sendo realizadas durante o evento, além dos servidores públicos estaduais, cerca de 250 voluntários também participam da ação na região Norte de Mato Grosso.   


“Capacitamos 250 voluntários e estamos com uma média de 50 pessoas nos apoiando a cada dia. Além disso, a população também abraçou esta causa e está tendo oportunidade de estar dentro do projeto. Tudo isso também está sendo possível devido ao envolvimento da região. A união de todos tem auxiliado no bom andamento do evento”, destacou Cunha.

Em relação às cirurgias, 598 pacientes já foram operados de catarata e outros 15 de pterígio. Cada paciente, antes de realizar qualquer procedimento cirúrgico, passa por, pelo menos, três tipos de exames distintos na visão. O pós-operatório, que também já foi iniciado, conta com 278 atendidos até o momento. Os procedimentos médicos estão sendo realizados pela empresa 20/20, contratada pelo Governo Estadual.

A Caravana

Nesta sexta-feira (09.09) e sábado (10.09) serão realizados os Dias D da Caravana da Transformação, em que serão desenvolvidos serviços de cidadania, como emissão de documentos (RG, CPF, Carteira de Trabalho e Carteira de Pescador Amador), além de orientações sobre combate à violência contra a mulher, seleção para vagas de trabalho pelo Sine, entre outros.

A Caravana da Transformação está em sua segunda edição, sendo realizada na Vila Olímpica de Peixoto de Azevedo. Além da cidade, outros 16 municípios também estão sendo beneficiados com os serviços sociais e de saúde. São eles: Alta Floresta, Nova Bandeirantes, Apiacás, Nova Monte Verde, Paranaíta, Carlinda, Nova Canaã do Norte, Colíder, Nova Santa Helena, Terra Nova do Norte, Novo Mundo, Guarantã do Norte, Matupá, Nova Guarita, Itaúba e Marcelândia.

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

MAIS TRÊS MUNICÍPIOS TERÃO COORDENADORIAS DE DEFESA CIVIL
Ana Sampaio 
Assessoria Secid-MT 

A Defesa Civil do Estado iniciou o processo de criação de três coordenadorias municipais na região do Vale do Guaporé. Vale de São Domingos, Conquista D’Oeste e Nova Lacerda ainda não conheciam o trabalho desenvolvido pela Secretaria Adjunta de Proteção e Defesa Civil da Secretaria de Estado das Cidades (Secid). Agora, os gestores municipais sinalizaram positivamente para iniciar o processo.

“Essa ação de prevenção que nós estamos fazendo é de extrema importância, porque o município fica preparado para qualquer desastre que possa ocorrer, tendo o auxílio da Defesa Civil de forma mais ágil”, disse o secretário das Cidades, Eduardo Chiletto, após reunião com representantes municipais.

Conforme o gerente de articulação e comando operacional da Defesa Civil, sargento BM Wagner Soares, os trabalhos realizados no consorcio Vale do Guaporé tiveram foco na disponibilização de uma minuta da lei para criação das Coordenadorias de Defesa Civil, além da formalização de senhas para acesso ao sistema nacional. O próximo passo é a nomeação de um servidor para coordenar os trabalhos locais. “Nós continuaremos o contato com Conquista D'Oeste, Nova Lacerda e Vale de São Domingos para acompanhar e auxiliar o desenvolvimento da criação da coordenadoria municipal de Proteção e Defesa Civil e posteriormente capacitar o coordenador nomeado e os voluntários de cada localidade”, explicou Soares.

Chiletto afirma que a intenção é, justamente, preparar os municípios que não têm condições técnicas de atuar em caso de desastres naturais. “Essa região já foi auxiliada pela Defesa Civil no início desse ano, quando uma enchente atingiu pontes e casas em Porto Esperidião, Vila Bela e Pontes e Lacerda. E queremos que os outros municípios ao entorno estejam preparados para agir nessas situações”, enfatizou Chiletto.

Durante a apresentação sobre as ações da Defesa Civil, na semana passada, o sargento explicou que para ser decretada situação de emergência, de forma reconhecida, é preciso que 2,77% da receita corrente anual líquida do município seja afetada em situações de danos públicos. Já em casos de danos privados, os prejuízos devem ser superiores a 8,33% da receita municipal.

Na ocasião, os servidores municipais também receberam orientação sobre o Cartão de Pagamento da Defesa Civil, utilizado para o recebimento de verbas federais durante episódios de desastre natural.

Ações
A apresentação foi feita durante a Caravana Secid na região do Vale do Guaporé. A Caravana percorreu ainda os municípios de Vila Bela da Santíssima Trindade, Comodoro, Porto Esperidião e Pontes e Lacerda, que já possuem coordenadorias municipais da Defesa Civil consolidadas e atuantes.

A Defesa Civil é um sistema nacional, responsável pela viabilização de recursos federais de forma emergencial e pelo atendimento aos municípios com prevenção e gerenciamento de desastres. Em Mato Grosso, a Defesa Civil é uma secretaria adjunta na Secretaria de Estado das Cidades.

segunda-feira, 5 de setembro de 2016


Caravana da Transformação

Jovens são capacitados para atuar em Peixoto de Azevedo

Larissa Malheiros
Assessoria de Imprensa/Defesa Civil



A Secretaria de Estado das Cidades, por meio da Secretaria Adjunta de Proteção e Defesa Civil, capacitou 80 jovens que vão atuar nas atividades desenvolvidas na Caravana da Transformação, que será realizada em Peixoto de Azevedo (a 672 km de Cuiabá), na próxima semana. Os jovens têm idade de 12 a 17 anos e já estão inseridos no projeto social local da Polícia Militar, “Luz do Amanhã”.

Foram 12 horas de curso ministrado pelos agentes da Defesa Civil, com aulas teóricas e práticas. Na ocasião, os alunos aprenderam noções de Defesa Civil, noções de voluntariado, noções de primeiros-socorros e combate a princípio de incêndio. Além da disciplina primordial para atuação na Caravana, o atendimento ao público.

A maioria dos jovens capacitados deve atuar por meio de plantão durante a semana em que a caravana estará no município.  Eles estarão direcionados para condução dos idosos e no atendimento dos serviços sociais ofertados no evento. “O objetivo dos jovens no evento é mostrar a importância do cuidado ao idoso. Além de despertar a prática da cidadania”, explica a gerente de capacitação, Maria Miqueline.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Defesa Civil apresenta suas ações para associação religiosa

Larissa Malheiros
Assessoria de Imprensa/Defesa Civil



O secretário adjunto de Proteção de Defesa Civil de Mato Grosso, tenente-coronel Abadio da Cunha, apresentou na manhã desta quinta-feira (01.09) para a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (Adra), as ações que a Defesa Civil desenvolve para a prevenção e resposta aos desastres naturais.

O tenente-coronel destacou que a finalidade da Defesa Civil é ajudar o próximo e garantir o direito natural à vida e a isenção ao dano. “Agimos através de ações preventivas, receptivas, e de socorro assistencial, destinadas a evitar ou minimizar os impactos dos desastres, buscando preservar a moral da população e restabelece a normalidade social”, destaca.

Durante o encontro, representantes da Adra destacaram que a instituição tem como foco trabalhar para as camadas vulneráveis da sociedade, visando melhorar suas condições de vida. Por isso, a necessidade de estreitar o relacionamento com a Defesa Civil e outros órgãos estaduais para promover o auxílio em caso de desastres. “O trabalho da Adra é muito importante em todos os países que já contam com essa parceria. Conhecer o trabalho deles e mostrar o nosso, nos faz acreditar que mais ajuda teremos nos casos de desastres em nosso Estado”, finaliza Cunha.

Em Mato Grosso, a Defesa Civil é uma secretaria adjunta da Secretaria de Estado das Cidades (Secid).

Adra

A Adra Brasil trabalha com pessoas em situação de pobreza e dificuldade, para criar uma mudança positiva e justa através de parcerias e ação responsável. Saiba mais: http://adra.org.br/