quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

DEFESA CIVIL DE MATO GROSSO TRAZ NOVIDADES PROVEITOSAS DE VISITA A BRASÍLIA

Fonte: Cida Rodrigues / Defesa Civil Estadual



Quarta-feira, 22 de fevereiro, foi dia de visita à Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. O secretário adjunto de Proteção e Defesa Civil de Mato Grosso, ten. cel. BM Abadio José da Cunha Jr., se reuniu com o diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres – CENAD, ten. cel. Élcio Alves Barbosa, e com o Secretário Nacional, cel. PM Renato Newton Ramlow.

O principal objetivo da visita foi falar sobre as condições do Estado neste período de chuvas e solicitar apoio financeiro para as ações de resposta humanitária. O secretário mato-grossense aproveitou para convidá-los a fazer uma visita ao Estado, especialmente na região do Araguaia cujos municípios vêm sofrendo o maior impacto das chuvas atualmente.

De pronto, a Secretaria Nacional já se colocou à disposição para envio de auxílio humanitário às vítimas da enchente no município de Campo Novo do Parecis, que fica a 400 km da capital, Cuiabá. Os itens solicitados devem chegar em uma semana ao Estado.


Além da conversa com o Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, o ten. Cel. Cunha também se reuniu com o Coordenador-Geral de Prevenção e Preparação, Mushue Dayan Hampel Vieira.

A pauta da reunião foi capacitação. A maior novidade é que que dois técnicos de Mato Grosso já foram selecionados para participar de um processo de nivelamento e capacitação que será realizado em abril deste ano. 

Com esse curso, os técnicos mato-grossenses se tornarão instrutores da Defesa Civil Nacional e poderão representar o órgão nacional em cursos pelos municípios mato-grossenses. 

Para o secretário adjunto de Proteção e Defesa Civil, Ten. Cel. Cunha, a viagem a Brasília foi muito proveitosa. “Em um só dia de reuniões, conseguimos definir respostas e ações que ajudarão bastante os municípios mato-grossenses. Vamos que vamos! De passo em passo, de ação em ação, vamos fazendo o possível para aumentar a resiliência de nosso Estado”.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

CHUVAS CONTINUAM EM MATO GROSSO MAS NÃO HÁ MOTIVOS PARA ALARDE

Ivana Maranhão | Secid-MT 

Alerta emitido pelo INMET (cor laranja: perigo)
As chuvas que caem diariamente em praticamente todo o Estado devem continuar até pelo menos o dia 21 de fevereiro. De acordo com a secretaria adjunta de Proteção e Defesa Civil, da Secretaria de Estado das Cidades (Secid), a situação é de alerta para alagamentos em Mato Grosso.

Com base no monitoramento do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden) e Agência Nacional das Águas (ANA), parceiros da Defesa Civil, nos 12 primeiros dias de fevereiro foram registrados em média 15 milímetros de chuva, volume superior ao mesmo período do ano passado. Apesar disso, não há, até o momento, motivos para alarde por parte da população.

A Defesa Civil esclarece ainda que monitora diariamente a precipitação acumulada e o nível de água dos maiores rios que cortam o Estado, por meio da parceira com o Inmet a ANA, e está pronta para atender as solicitações de auxílio dos municípios em caso de uma situação de emergência ou desastre natural.

O secretário adjunto de Proteção e Defesa Civil, tenente-coronel BM Abadio José da Cunha Júnior, explica que a pasta emite regulamente alertas de precipitação para os municípios mato-grossenses, para evitar uma situação surpresa. “Todavia, ainda não temos como prever exatamente o ponto dentro do município, por exemplo, que será atingido pela chuva. Mas a Defesa Civil está pronta a atender, em até 24 horas, um município que pedir ajuda”, tranquilizou.

Segundo o sargento José Bruno de Souza Filho, gerente de monitoramento e alerta da Defesa Civil, as chuvas são originárias de uma área de alta pressão na Bolívia, que trouxe umidade para Mato Grosso. Há, ainda, uma massa de ar quente e úmida sobre o Estado advinda da Amazônia, na região Norte do país. “Ficamos no meio do fogo cruzado. Com isso, o Estado todo está em alerta”, destacou o sargento, acrescentando que foram notificadas chuvas diárias desde o dia 12 de fevereiro.


Situação nos municípios
Salto do Céu/MT
Até o momento, 14 municípios comunicaram estado de emergência a Defesa Civil, devido à quantidade de chuvas registradas: Campo Novo do Parecis, Rio Branco, Vale de São Domingos, Chapada dos Guimarães, Confresa, Vila Rica, Santa Terezinha, Cláudia, Água Boa, Pontes e Lacerda, Porto Esperidião, Barra do Bugres, São José do Xingu e Jauru. 

Quanto a Cuiabá, não houve acionamento do Estado por parte da Prefeitura Municipal. “Estes municípios já fizeram contato com a nossa coordenadoria e estão entrando em situação emergencial pelas fortes chuvas que estão dilacerando pontes, bueiros e estradas, inclusive com atoleiros impedindo o deslocamento dos veículos escolares, ambulância e outros”, pontuou o coordenador de Respostas e Reconstrução da Defesa Civil, major Washington César Duarte.
Campo Novo do Parecis/MT
O caso mais crítico até agora é o de Campo Novo do Parecis (444 km ao Norte de Cuiabá), que teve o bairro Jardim das Palmeiras, que representa 10% da cidade, totalmente alagado. No total, cerca de 3 mil pessoas foram afetadas pelas águas, espalhadas em 750 casas. “Em menos de 24 horas estava com minha equipe de 80 pessoas dentro da cidade para o atendimento à população”, acrescentou o tenente-coronel Cunha, ressaltando que a situação está sob controle na localidade.

Para amenizar os impactos causados pelas chuvas em Campo Novo, a Defesa Civil entregou a população atingida colchões, alimentos, roupas, água potável para consumo e material de limpeza. Todos os itens provenientes de doações.

As atividades no local vêm sendo promovidas desde o dia 11 de fevereiro em parceria com o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar. Ainda no dia 11, o governador Pedro Taques e o secretário das Cidades, Wilson Santos, sobrevoaram o município e visitaram a comunidade invadida pelas águas, para ver de perto os estragos causados. “Nossas equipes estão mobilizadas para dar toda assistência à população”, disse o governador na ocasião.

Uma equipe de engenharia da Secretaria de Estado das Cidades também já está em Campo Novo para estudar uma solução estrutural para a cidade, visando a não ocorrência de novas inundações. Oficialmente o município decretou situação de emergência. O pedido está na Casa Civil para ser homologado.


Manso

A Defesa Civil informa que a barragem da Usina de Manso, administrada por Furnas, encontra-se segura e com suas operações sob controle, apesar das fortes chuvas. Afastando as falsas notícias espalhadas em redes sociais, a diretoria da empresa afirma que a Usina opera com apenas 30% de sua capacidade total.
Nota enviada por Furnas à Defesa Civil Mato Grosso


Orientações:

Conforme o último aviso emitido pelo Inmet, o acumulado de chuva no Estado traz o risco de alagamentos e de transbordamentos de rios. Por isso, a Defesa Civil traz as seguintes orientações para se prevenir destas situações.

- Se o nível de água estiver subindo, vá com sua família para um lugar seguro;
- Se estiver numa área inundada, procure evitar o contato com a água;
- Evite cruzar pontes em que o nível do rio subiu;
- Não se abrigue debaixo de árvores isoladas;
- Não se aproxime de cercas de arame, varais metálicos e trilhos;
- Mantenha-se longe de fiação elétrica exposta;
- Se estiver dirigindo, aos primeiros sinais de alagamento procure áreas elevadas para estacionar e aguarde o nível da água baixar.



terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

COMUNICADO

A Defesa Civil de Mato Grosso informa que monitora diariamente a precipitação acumulada e o nível de água no Estado, em parceria com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (CEMADEN), Agência Nacional de Águas (ANA), dentre outros órgãos.

Apesar do período de intensas chuvas no Estado, a Barragem da Usina de Manso, de propriedade de Furnas, encontra-se segura e com suas operações sob controle, de acordo com informações da Diretoria Operacional responsável pela hidrelétrica.

No entanto, conforme último aviso emitido pelo INMET, o acumulado de chuva no Estado traz riscos potenciais de alagamentos e de transbordamentos de rios. Por isso, a orientação é se proteger dos danos que as enchentes e alagamentos podem provocar:

* Se o nível de água estiver subindo, vá com sua família para um lugar seguro;

* Se estiver numa área inundada, procure evitar o contato com a água;

* Evite cruzar pontes em que o nível do rio subiu;

Não se abrigue debaixo de árvores isoladas;

Não se aproxime de cercas de arame, varais metálicos e trilhos;

Mantenha-se longe de fiação elétrica exposta;

Se estiver dirigindo, aos primeiros sinais de alagamento procure áreas elevadas para estacionar e aguarde o nível da água baixar.


Secretaria Adjunta de Proteção e Defesa Civil

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Campo Novo do Parecis
MORADORES SE UNEM PARA AJUDAR POPULAÇÃO ATINGIDA POR ALAGAMENTO

Caroline Lanhi | Gcom-MT 
Trabalho dos voluntários é coordenado pela Defesa Civil do Estado, que está no município desde sábado (11.02)

“Deixei tudo em casa, desde ontem cedo que a gente está nessa luta e vamos conseguir”. Quem garantiu foi a artesã Maria Heidemann, de 56 anos, que, na manhã do último sábado (11.02), decidiu ser voluntária na arrecadação de doações para quem perdeu quase tudo no alagamento que atingiu Campo Novo do Parecis. As entregas dos kits com roupas e mantimentos começaram na tarde desta segunda-feira (13.02), após levantamento realizado nas 750 casas atingidas.

Assim como Maria, centenas de moradores se juntaram à Defesa Civil do Estado e à Segurança Pública para confortar e ajudar as três mil pessoas atingidas pela inundação, conforme dados da Defesa Civil do Estado. Pelos cálculos da instituição, só no sábado, 300 pessoas atuaram como voluntários, sendo eles 200 populares e 100 funcionários do Executivo Municipal.

Quando a água começou a subir, na madrugada de sábado, a mobilização já era grande. Cada um ajudava como podia, inclusive com barcos, botes e caiaques. Quando Pedro Henrique Finoto acordou, o celular dele estava cheio de mensagens de amigos do grupo de pescaria. A ideia era reunir o maior número de embarcações para ajudar na retirada das famílias. Às 7h30, Pedro, que tem 33 anos, estava no Bairro Jardim das Palmeiras, juntamente com os colegas.

No domingo (12.02), no ginásio municipal, os voluntários trabalhavam sem parar, recebendo, selecionando e separando as doações que não paravam de chegar. Apesar do drama, o prazer em poder ajudar quem havia perdido quase tudo mantinha o brilho no olhar dos voluntários. “A gente se disponibiliza e luta por eles. É muita satisfação, um sentimento que não tem como falar”, tentou descrever Vanessa Saboia Pitta, de 57 anos, sempre com um sorriso no rosto.


Doações

Conforme dados da Defesa Civil do Estado, que coordena a ação em Campo Novo do Parecis, foram arrecadados cinco mil quilos de alimentos, que resultaram em 650 cestas básicas –suficientes para manter por 30 dias uma família de quatro pessoas. Com a união e a solidariedade dos moradores, a instituição também reuniu 2.500 peças de roupa, 350 colchões, 2 mil litros de água, 250 travesseiros, 200 caixas de leite, além de outros produtos. A arrecadação foi encerrada às 18 horas de domingo.

Na manhã desta segunda-feira, 70 voluntários passaram de casa em casa para levantar as necessidades de cada família e, após o almoço, iniciou a distribuição dos donativos, mesmo embaixo de chuva.

Segundo o gerente de articulação e comando da Defesa Civil, sargento BM Wagner Rosa, que acompanha as ações no local, o estado de alerta está mantido e as equipes da Defesa Civil estão no bairro Jardim das Palmeiras para monitorar a situação. “As famílias que estavam abrigadas na escola municipal do bairro já retornaram para casa, mas toda a estrutura montada na escola continua à disposição dos moradores para atendê-los a qualquer momento”, assegurou.  

Campo Novo do Parecis
ESTADO UNE FORÇAS PARA AJUDAR CAMPO NOVO DOS PARECIS

Fonte: Caroline Lanhi | Gcom-MT 
Fotos: José Medeiros | Gcom-MT 



Em 48 horas choveu em Campo Novo do Parecis (444 km ao Norte de Cuiabá) mais do que o previsto para o mês todo. Foram 310 milímetros de chuva e três mil pessoas atingidas pelo alagamento. Para verificar a situação e buscar uma solução para o problema, o governador Pedro Taques esteve no município neste domingo (12.02), acompanhado de secretários e um engenheiro do corpo técnico do Estado.

Desde o início de sábado (11.02), Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar atuam junto com a Prefeitura em um plano emergencial para ajudar as famílias que não podem ficar em suas casas. "Nossas equipes estão mobilizadas para dar toda assistência à população. A Secretaria de Estado das Cidades (Secid) vai enviar engenheiros para que encontremos uma solução estrutural e não paliativa, caso contrário ano que vem teremos essa mesma situação", disse o governador.

O bairro Jardim das Palmeiras foi o mais prejudicado. Conforme informações da Defesa Civil, o local que recebe a água pluvial daquela região, chamado de "piscinão", não suportou e transbordou, atingindo casas, comércio e instituições. Em análise preliminar da Defesa Civil, isso se deve ao avanço da pavimentação urbana sem um sistema eficiente de drenagem da água.

“A instituição também está dando todo o suporte administrativo para que possa ser reconhecida a situação de emergência pelo Estado e o encaminhamento a Brasília, o que vai permitir a captação de recursos para ampliar essa obra que não suportou a chuva”, informou o secretário-adjunto de Proteção e Defesa Civil, Abadio José da Cunha Junior.Uma equipe de engenheiros da Secid deve chegar a Campo Novo do Parecis no começo desta semana para fazer um estudo aprofundado da área e propor uma solução definitiva. "Claro que houve um excesso de chuva, mas é preciso preparar o bairro para impactos iguais a este ou superiores. Vamos analisar quais as contribuições de água que chegam ao bairro, se a drenagem feita é suficiente, se o chamado ‘piscinão’ tem escape. Vamos tratar o assunto com a responsabilidade que o caso requer", garantiu o secretário de Estado das Cidades, Wilson Santos.

Emergencialmente, a Prefeitura e voluntários fizeram um canal e, com apoio de uma máquina, estão fazendo a drenagem do lodo acumulado. Com isso, a maior parte das pessoas alojadas na Escola Municipal Jardim das Palmeiras retornou para suas casas. “Mas o município segue em estado de alerta, pois a chuva não deve parar tão cedo”, lembrou o prefeito Rafael Machado.

Segundo o setor de monitoramento da Defesa Civil, as precipitações só devem reduzir a partir de quinta-feira (16.02). Até lá, todos os dias devem apresentar 95% de probabilidade de chuva.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

DEFESA CIVIL ESTADUAL CAPACITA COORDENADORES DE SEIS MUNICÍPIOS DO NORTÃO EM SINOP
Fonte: Só Notícias/Cleber Romero (foto: assessoria/Thaiane Paes)

Dezesseis profissionais das cidades de Santa Carmem, Vera, Guarantã do Norte, Tangará da Serra, Sorriso e Sinop estão sendo capacitados pela Defesa Civil Estadual para atuarem como coordenadores regionais. A capacitação começou, na última terça-feira, na sede da Escola Técnica Estadual (Secitec), localizada na avenida dos Flamboyants, no bairro Jardim Jacarandás. O treinamento termina, esta tarde.

O sargento do Corpo de Bombeiros, Wagner Rosa Soares, disse, ao Só Notícias, que os coordenadores terão autonomia de reportar todas as informações emergenciais dos munícipios, o que poderá facilitar o envio de recursos financeiros. “Precisamos destes profissionais para que eles possam reportar a real situação de cada município. Será este coordenador que vai nos manter informados. Ele fará o acionamento e iremos até o município fazer monitoramento da situação. Com estes coordenadores será possível a liberação de recursos mais rápido. Temos um tempo determinador para adicionar informações no sistema. Com este profissional, daremos agilidade no processo”.

Soares explicou que os profissionais recebem capacitação de como agir em situação de emergência, criação de uma coordenadoria local e conhecimento do Sistema Nacional de Defesa Civil. “Eles devem montar uma Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Compdec) e realizar os trabalhos necessários nos municípios. Estamos preocupados com as chuvas dos últimos dias e aproveitando para fazer esses treinamentos. Na semana passada, passamos por Alta Floresta e reunimos representantes de oito município daquela região”.

Na próxima segunda-feira, o treinamento será realizado com representantes de municípios na região de Juína. “Estamos trabalhando na região Norte e capacitando coordenadores para que acaso ocorra algum desastre o município esteja preparado. Além disso, já estamos trabalhando operação de combate à dengue”.