sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018


A nossa equipe da Defesa Civil Estadual ajuda os municípios no processo de captação.



 Após o reconhecimento fazemos um plano de trabalho para captar recursos para reconstruir os locais destruídos

Municípios de Mato Grosso estão sendo monitorados pela Defesa Civil Estadual, devido a grande quantidade de chuvas registradas. Deste total, três municípios tiveram a situação de alerta reconhecida pela União, enquanto os demais ainda aguardam o reconhecimento e permanecem em observação.

Poconé, Mirassol d’Oeste e Rondonópolis, estão em estado de alerta. Em Mirassol d’Oeste, uma barragem de captação de água se rompeu. Por esse motivo, 25.299 habitantes estão sem o abastecimento de água.

Em Poconé, houve destruição de bueiros, pontes e estradas. Mais de 2 mil pessoas foram afetadas.

Já em Rondonópolis, as chuvas causaram uma erosão de grande proporção em um bairro da cidade, prejudicando cerca de 3 mil moradores.
Cuiabá, Várzea Grande, Cáceres, Campo Novo do Parecis, Colniza, Cotriguaçu, Barra do Garças, General Carneiro, São Felix do Araguaia, São José dos Quatro Marcos, São José do Rio Claro e Poconé, não tiveram o estado de alerta decretado, mas seguem sendo monitorados pela Defesa Civil.

Na capital, um trecho da Avenida Senador Metelo, na região com o cruzamento com a Rui Ramos teve que ser interditado pela Defesa Civil Municipal, por conta de uma erosão no asfalto, causada pelas chuvas.
“Cuiabá e Várzea Grande têm seus coordenadores municipais e nos [Defesa Civil] estamos monitorando os trabalhos deles. Havendo necessidade nós iremos auxiliá-los em alguma ação”, disse o Bombeiro Militar.

Os municípios que estão em estado de alerta, devem receber um projeto para reconstrução dos lugares destruídos em breve.


PREVENÇÃO - CHUVAS

Antes:
Não jogue lixo ou entulho no córrego, para não obstruir a passagem da água;
Não construa próximo a córregos que possam inundar;
Não construa em cima de barrancos que possam deslizar, carregando sua casa;
Não construa embaixo de barrancos que possam deslizar, soterrando sua casa.

Durante:
Se o nível de água estiver subindo, vá com sua família para um lugar seguro;
Não deixe crianças brincando na enxurrada ou nas águas dos córregos, pois elas podem ser levadas pela correnteza ou contaminar-se, contraindo graves doenças, como hepatite e leptospirose.


Depois:
Não use equipamentos elétricos que tenham sido molhados ou em locais inundados, pois há risco de choque elétrico e curto-circuito;
Cuidado com a água que for beber: veja se não foi contaminada pela inundação, o que traz sérios riscos à saúde;
Cuidado também com os alimentos: os atingidos pela água estão contaminados;
Em caso de febre, vômitos, diarreias, dores de cabeça ou no corpo, se tiver qualquer outro sintoma de doenças ou alguma dúvida sobre os procedimentos seguros para sua saúde, procure imediatamente o Centro de Saúde mais próximo.

ORIENTAÇÃO
Conforme o último aviso emitido pelo Inmet, o acumulado de chuva no Estado traz o risco de alagamentos e de transbordamentos de rios. Por isso, a Defesa Civil traz as seguintes orientações para se prevenir destas situações.


– Se o nível de água estiver subindo, vá com sua família para um lugar seguro;
– Se estiver numa área inundada, procure evitar o contato com a água;
– Evite cruzar pontes em que o nível do rio subiu;
– Não se abrigue debaixo de árvores isoladas;
– Não se aproxime de cercas de arame, varais metálicos e trilhos;
– Mantenha-se longe de fiação elétrica exposta;
– Se estiver dirigindo, aos primeiros sinais de alagamento procure áreas elevadas para estacionar e aguarde o nível da água baixar.











































































Nenhum comentário:

Postar um comentário