segunda-feira, 29 de outubro de 2018

  BARRAGEM DARDANELOS



A equipe da Defesa Civil, realizou uma visita técnica na Prefeitura do Município de Aripuanã - MT, em reunião com os responsáveis pela Usina Hidrelétrica de Dardanelos.

A reunião tem como objetivo, integrar a prefeitura, Defesa Civil Municipal, a empresa e a população, ao Plano de Ação de Emergência (PAE), e fortalecer a Coordenadoria Municipal.

Plano de Ação de Emergência, PAE, foi elaborado para estabelecer as ações a serem executadas pelo empreendedor na situação de emergência que ameacem as estruturas da barragem da UHE Dardanelos, tal como preconizado na ResoluçãoNormativa 696/2015 da ANEEL, dando, assim, suporte ás autoridades para desenvolvimento de ações estabelecidas na Política Nacional de Proteção e Defesa Civil- PNPDEC, instituída pela lei federal nº12.608/2012.


          Fotos: Lohanna Santos / SAPDEC – MT 

quinta-feira, 18 de outubro de 2018


A equipe da Defesa Civil e voluntários, dando apoio na Semana Nacional de tecnologia em Cuiabá.

O evento acontece no estádio da arena pantanal, entre os dias 15 a 21 de outubro. A programação do evento será com muitas atividades para os estudantes, crianças e para as famílias! Jogos interativos, exposições, games, palestras, oficinas e, para quem se interessar o evento é totalmente gratuito.

"Ciência para a Redução das Desigualdades” foi o tema escolhido para a décima quinta edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) em 2018.


 A motivação para escolha baseia-se na Agenda 2030, estabelecida pela Organização das Nações Unidas – ONU, e seus 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – ODS, em particular o ODS 10 – Redução das Desigualdades.


O tema da SNCT 2018 permite trazer à tona o debate acerca da contribuição das Ciências Sociais e Humanas para a redução das desigualdades no Brasil. Fomentar os usos sociais da ciência e da tecnologia permitirá ampliar as possibilidades de se combater a desigualdade social por meio da popularização e da divulgação da ciência e da tecnologia.




Fonte: http://snct.mctic.gov.br

Fotos: Lohanna Santos / SAPDEC – MT

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Mais de R$ 2 bi do Fundo de Desenvolvimento estão garantidos para o Centro-Oeste


Projetos geram emprego e renda na região. Companhia Thermas do Rio Quente recebeu autorização para investir R$ 31 milhões



Mais de R$ 2 bilhões em recursos do Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO) estão assegurados para investidores que têm interesse em desenvolver projetos com potencial para transformar a realidade socioeconômica da região. O FDCO, administrado pelo Ministério da Integração Nacional, contempla áreas da indústria e de infraestrutura e é direcionado a empreendimentos do setor privado ou empresas de grande porte com capacidade germinativa de novos negócios. Nesta segunda-feira (3), R$ 31 milhões foram autorizados para o setor turístico. O valor será aplicado pela empresa Companhia Thermas do Rio Quente na construção de um restaurante e na ampliação das instalações de um complexo hoteleiro em Goiás.

A malha rodoviária também está sendo beneficiada com o aporte de R$ 200 milhões para obras na BR-050, principal via de ligação entre as regiões Centro-Oeste e Sudeste. Mais de 200 quilômetros de rodovias sob administração da concessionária MGO Rodovias estão sendo recuperados e duplicados. O trecho segue de Cristalina (GO) até a divisa de Minas Gerais e corta cinco municípios goianos. O valor financiado pelo FDCO representa 23% do total a ser investido nas obras.

O projeto de duplicação de uma unidade da Fibria, em Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, recebeu um aporte de R$ 831,5 milhões do FDCO.  A iniciativa deverá gerar 40 mil empregos diretos e indiretos, além de estimular pequenos e médios produtores da região. Permitirá uma nova linha de produção de celulose de eucalipto capaz de atingir até 175 milhões de toneladas por ano. O montante de recursos corresponde a 9,4% do valor total do empreendimento, orçado em R$ 8,7 bilhões.

Uma das líderes mundiais na produção de celulose branqueada de eucalipto, a Fibria também investe em ações de reflorestamento, condição importante para garantir a concessão do crédito. "São atividades com impacto direto no desenvolvimento regional e que oferecem garantias de sustentabilidade. Por isso, contam com o apoio do FDCO", explica Cléber Ávila, responsável pela Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), órgão vinculado ao Ministério da Integração.

Ainda no setor de indústria, a ADM do Brasil conseguiu aprovação de financiamento no valor de R$ 274 milhões para construir uma unidade de produção de proteína de soja, em Campo Grande (MS). Com parte do valor já liberado, de aproximadamente R$ 122 milhões, a empresa deu início às atividades e gerou 80 postos de trabalho diretos. Anualmente, a produção da ADM gira em torno de 11 milhões de toneladas de sementes oleaginosas, além de milho e trigo. Suas fábricas também processam quatro milhões de toneladas de soja por ano, matéria prima que é destinada a diversos produtos, como ração animal, biodiesel e óleos vegetais.

Os investidores dos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal ainda têm à disposição o Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), voltado prioritariamente a empresas de pequeno e médio porte.  O volume de recursos aplicados pelos dois Fundos Regionais, de 2012 a 2015, foi superior a R$ 23,5 bilhões.

Fonte:MI

segunda-feira, 8 de outubro de 2018


REDE ESTADUAL DE EMERGÊNCIA DE RADIOAMADORES – REER


Na data de 02 de outubro do corrente ano, foi publicado o decreto de nº 1.676, que cria a Rede Estadual de Emergência de Radioamadores – REER, no Estado de Mato Grosso.

Com a finalidade de prover ou suplementar as comunicações em todo o território estadual, quando os meios usuais forem insuficientes ou não puderem ser acionados, em razão de desastres naturais ou humanos.

A Rede Nacional de Emergência de Radioamadores – RENER, foi criada pela Portaria Ministerial MI-302, de 24 de outubro de 2001, publicada no Diário Oficial da União n º 201, Seção I, de 26 de outubro de 2001, com o objetivo de suprir os meios de comunicações usuais, quando os mesmos não puderem ser acionados, em razão de desastre, situação de emergência ou estado de calamidade pública.
O Ministério da Integração, criando a RENER e colocando a Liga de Amadores Brasileiros de Rádio Emissão - LABRE como coordenadora da operação conjunta Defesa Civil e Radioamadores reconhece, oficialmente, o valor do radioamadorismo e dos Radioamadores brasileiros.
Poderão participar da REER, em caráter voluntário, pessoas físicas portadoras do Certificado de Operador de Estação de Radioamador (COER), expedido pela Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL.
Para ser radioamador é necessário que o voluntário seja capacitado através de curso promovido pela Proteção e Defesa Civil.
A nomeação dos Radioamadores que irão compor a rede dar-se-á por meio de Portaria, por indicação do Secretário Adjunto de Proteção e Defesa Civil.

A importância do Radioamador, quando solicitado para ajudar em situações de desastres ou calamidade pública, em que seu serviço voluntário seja realizado em benefício da população é de grande importância para as operações da Proteção e Defesa Civil

Para saber mais acesse o link:

Fonte: Ministério da Integração Nacional