TIPOS DE DESASTRE


Os desastres são classificados conforme a sua Intensidade, Evolução e Origem.

QUANTO À INTENSIDADE, os desastres são classificados em dois níveis:

a) nível I - desastres de média intensidade
São aqueles em que os danos e prejuízos são suportáveis e superáveis pelos governos locais e a situação de normalidade pode ser restabelecida com os recursos mobilizados em nível local ou complementados com o aporte de recursos estaduais e federais.

b) nível II - desastres de grande intensidade
São daqueles em que os danos e prejuízos não são superáveis e suportáveis pelos governos locais, mesmo quando bem preparados, e o restabelecimento da situação de normalidade depende da mobilização e da ação coordenada das três esferas de atuação do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil - SINPDEC e, em alguns casos, de ajuda internacional.

Obs.: Os desastres de nível I ensejam a decretação de situação de emergência, enquanto os desastres de nível II a de estado de calamidade pública.


QUANTO À EVOLUÇÃO, os desastres são classificados em:

I - desastres súbitos ou de evolução aguda
Caracterizam-se pela velocidade com que o processo evolui e pela violência dos eventos adversos causadores dos mesmos, podendo ocorrer de forma inesperada e surpreendente ou ter características cíclicas e sazonais. Apresentam diferentes graus de previsibilidade. Podem ser completamente inesperados, como os terremotos; revelar fenômenos premonitórios, como as erupções vulcânicas, ou ter um caráter cíclico e sazonal, como as inundações.

II - desastres graduais ou de evolução crônica
São desastres que se caracterizam por evoluírem em etapas de agravamento progressivo. Ex.: seca e a desertificação.


QUANTO À ORIGEM ou causa primária do agente causador, os desastres são classificados em:

I - Naturais 
São os desastres causados por fenômenos e desequilíbrios da natureza. Alguns exemplos típicos são os terremotos, os furacões e as erupções vulcânicas.

II - Tecnológicos
São os desastres originados de condições tecnológicas ou industriais, incluindo acidentes, procedimentos perigosos, falhas na infraestrutura ou atividades humanas específicas. Exemplos: acidentes com produtos perigosos, rompimento de barragens e acidentes rodoviários.



Para atender à classificação dos desastres do Banco de Dados Internacional de Desastres (EM-DAT), a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil passa a adotar a Codificação Brasileira de Desastres – COBRADE, estruturada na forma abaixo:



Um comentário: